Grande nome da Ufologia quer fazer mega-evento sobre o tema em Canela

0
891
Foto: Reprodução - Ademar José Gevaerd é um ufólogo brasileiro, editor da Revista UFO, publicação do Centro Brasileiro de Pesquisas de Discos Voadores, entidade do qual também é fundador e presidente.

Em entrevista, Ademar Gevaerd falou sobre o desejo de fazer um evento na cidade, além de casos em que esteve envolvido e experiências de contatos na região.

O Ufólogo Ademar Gevaerd, Editor e Fundador da Revista UFO, esteve em Canela neste fim de semana com sua palestra ‘A Ufologia Mundial hoje: Abertura de informações, Agroglifos e Exopolítica’. O renomado jornalista palestrou na Casa de Pedra, ontem às 16h para cerca de 100 pessoas.

Foto: Reprodução

Em uma coletiva realizada às 9h de sábado, 24, Gevard falou com a imprensa local.

Um dos grandes objetivos da visita de Gevaerd, tem a ver com o desejo de realizar um encontro anual sobre Ufologia em Canela.
O fundador da mais antiga revista de ufologia no mundo, falou inclusive sobre transformar Canela e região em um polo nacional de Ufologia.
O objetivo é encontrar parceria na cidade para realização do evento. Segundo Gevaerd, a maior dificuldade para um evento desse porte é encontrar apoio.
A negativa sobre parceria já aconteceu em várias cidades por quais passou. Por outro lado, várias já deram o suporte necessário para a realização, caso de Canela. Se encontrar suporte, o evento poderia acontecer já no ano que vem. “Gostaria que fosse um evento para cerca de 500 pessoas”, disse.
Precisamos de uma certa participação do poder público, no sentido de ceder um espaço, não de graça, mas em condições melhores para a gente realizar o evento.
Dou o exemplo de Varginha, que cedeu o espaço de um shopping, para uma exposição por quinze dias e deu vários lugares para colocarmos outdoors na cidade inteira e ainda em cidades vizinhas. Para mim, como organizador de eventos, não preciso de mais nada.
Precisariamos da ajuda dos hotéis, com preços melhores para os participantes, dos restaurantes que poderiam criar menus especiais nos dias do evento, em Varginha, na época do primeiro evento que realizamos lá, eles fizeram o Omelete Marciano. (Risos) Isso movimenta o turismo“.
Na opinião do jornalista, para o turismo da cidade é um ótimo negócio, pela grande visibilidade do assunto, que tem interesse nacional. Seria um bom lugar também para os organizadores, por ser uma cidade conhecida, que já tem um histórico com Ufologia, em uma região que ele considera que tenha ‘várias maravilhas’.
Sobre o evento, o editor e fundador da Ufo considera que com uma garga de cinco horas por dia, das 14h às 18h, durante cinco dias seria suficiente para fazer um “Mega Evento”.

Um dos temas de sua palestra, o Ufólogo falou sobre a sua visão da exopolítica mundial. “Estamos cada dia mais próximos de ter um encontro informal. Isso vai acontecer. A grande pergunta é sobre qual será o cenário desse encontro. O quê nós deveríamos fazer? Isso é parte do que é a exopolítica.
A exopolítica é uma espécie de diplomacia extraterrestre. O objetivo da exopolítica é preparar as pessoas para esse encontro, que pode ser muitas vezes traumático.”
Apesar de querer que o encontro aconteça logo, Gevaerd não acredita que isso deverá acontecer tão cedo. “Não estamos tão perto quanto eu gostaria que estivessemos.
Mas nós não estamos preparados e ficamos forçando a barra, o que é perigoso.” Disse ainda que, estamos “em uma sociedade fragmentada e totalmente bélica, ainda somos muito primitivos para gerar um interesse nas civilizações mais adiantadas. 90% dos nossos governantes são déspotas.” Ele ainda desacredita que possamos chegar a um encontro por iniciativa nossa, garantindo que só chegará o dia em que nos encontraremos com aliens, quando eles quiserem.

Quando perguntado por que Canela e São Francisco de Paula são tão procuradas pelos simpatizantes da Ufologia, respondeu com humor. “Não sei, são?” (Risos).
Logo depois passou a bola para seu amigo e também ufólogo, Paulo Odone, um dos maiores ufólogos do nosso estado. “São Francisco é uma cidade com um histórico já sobre o assunto.”
Segundo Odone, em São Francisco, as pessoas tem muita crença. Se dividem em dois polos, os mais místicos e os cientificos. Diz que existe uma certa rivalidade, mas assegura que é uma convivência saudável entre os dois grupos. “Temos que considerar que há uma religiosidade muito grande em São Chico, o que dificulta a própria divulgação dos fenomenos. Isso atrapalha até a ideia de Grande Evento, a fervorosidade da religião deixa a parte científica freada. O que possibilitou o crescimento do grupo mais científico em Canela.”

Uma das perguntas feitas pela imprensa, foi sobre como filtrar tudo que é mostrado sobre ufo’s, sobre o que é verdadeiro e o que é falso e se existe alguma prova incontestável sobre a existência de seres extraterrestres, Gevaerd respondeu que “esse é o grande problema da ufologia” e que esse problema tem especificamente um nome: internet.
Você pode ir ao Youtube e pesquisar por exemplo: ‘disco voador’, e você pode dizer que 99% deles, são falsos. Sobra 1%! Se para os ufólogos já é difícil, imagina para os leigos! E o pior, as falsificações estão cada vez mais bem feitas. Você pode analisar, tem um vídeo, gravado em São Paulo, muito bem feito, mas falso, com 10 milhoes de visualizações, enquando um real, tem 100. Esse é o mais complicado, separar esse enorme joio do trigo. A gente precisa buscar se qualificar cada vez mais.

Citou também mais um de seus projetos, um curso de Ufologia. Gevaerd tem uma vontade ambiciosa, que o curso seja lecionado inclusive em faculdades. Mas por enquanto, o curso ainda não vai ser reconhecido pelo MEC.
Estamos implantando um curso de ufologia, ministrado por ufólogos capacitados, veteranos da área de todas as áreas da ufologia.
É importante cada vez mais pessoas qualificadas trabalhando com ufologia, e assim, teremos cada vez mais provas e investigações em andamento.
O curso deve ter investigações de campo, análises de provas e outras atividades. Com certeza ajudará no futuro da ufologia.

Em uma pergunta sobre suas investigações, se havia uma prova concreta sobre a existência de OVNI’s, afirmou que já encontrou várias marcas no solo, que quando analisadas se mostraram com uma alteração química em sua composição, apresentando, mesmo depois de anos, uma dificuldade para crescer plantações nos locais atingidos.
Temos também os testemunhos, que para alguns não é uma prova ‘hardcore’, mas que vem de pessoas com grande credibilidade, como militares de alta patente, pilotos experiêntes de grandes empresas aéreas e médicos importantes no cenários nacional que já tiveram vários contatos.

Compartilhar