Pais e Professores souberam pela Imprensa da desativação da EMEI Dinah Signori

dinah-web

Professores, funcionários e pais de alunos estão revoltados com a decisão da Prefeitura de tirar a EMEI Dinah Signori de seu local atual para a implantação da Casa Lar naquele endereço. Os mesmos alegam que não foram informados de tal ação pela Secretaria de Educação, somente ficaram sabendo pela imprensa.  A Diretora da escola, Veneza Oliveira, e o Presidente do CPM, Cristian Grade, foram até a Secretaria da Educação buscar informações mais precisas e receberam como resposta de que o local escolhido para abrigar a Casa Lar foi definido pelo promotor e não pela Prefeitura de Canela. De início surgiram duas opções, que segundo os professores e pais da Dinah Signori, não são aceitáveis. A primeira seria toda a escola, alunos, professores e funcionários, serem transferidos para a Vila Boeira, na desativada Ernesto Dorneles, ou dividirem os funcionários entre outras escolas e transferirem os alunos para a EMEI Sylvio Hoffmann. Na Vila Boeira o prédio está em péssimo estado, o local não tem cozinha, os banheiros precisam de reforma total, os vidros estão quebrados, existem problemas no telhado, fiação elétrica e hidráulica. No caso da Sylvio Hoffmann, seria necessário desativar o berçário para absorver os alunos da Dinah Signori.

CPM e Professores destacam a reforma da atual casa, feita praticamente pelos pais de alunos. Foram feitas paredes, divisórias, um galpão, cercas, pracinha com brinquedos, pneus coloridos, caixa de areia, sofás com palets, o corrimão da escada, pisos antiderrapantes, pintura, eletrodomésticos, uma ilha de Buffet, a instalação de aparelhos de ar condicionado, corte de grama e ainda doação de alimentos regularmente. Os pais trabalham em finais de semana, realizando obras, corte de grama, pequenas reformas, pinturas, decoração da casa e do pátio.

Os Vizinhos da EMEI Dinah Signori não estão satisfeitos com a mudança da creche e a implantação da Casa Lar naquele local. “Faremos o que for possível para que a Dinah Signori permaneça aqui no bairro. Essa casa não tem capacidade para mais de 20 crianças e nem condições de trabalhar 24h” disse um vizinho.  Atualmente a EMEI Dinah Signori conta cm 57 crianças de três à seis anos e dez profissionais. A Diretora relata que a maior parte destes alunos já passou por duas ou três escolas diferentes nos últimos dois anos e que não seria justo mais uma mudança de escola, tendo em vista o total entrosamento das crianças, professores e pais. (Foto: Roberto Sagebin)