Início Esporte Futebol de botão é coisa de gente grande

Futebol de botão é coisa de gente grande

Continua depois da publicidade

Botonistas canelenses realizam torneio na cidade

Quem pensa que futebol de mesa, ou futebol de botão, como é chamado aqui no Sul do país, é apenas um jogo comprado em loja de brinquedos, para uso preferencialmente infantil, está mal informado.

Segundo a Liga Gaúcha de Futebol de Mesa, existem pelo menos mil praticantes ferrenhos do jogo no Rio Grande do Sul. E para esses homens (já que as mulheres ainda não invadiram os campos de compensado), bom mesmo é ter times exclusivos e jogar sempre que possível.

Aqui em Canela, foi realizado no início deste mês o Torneio de Inverno 2017 do RFM – Retranca Futebol de Mesa, um belo torneio com a presença de quinze técnicos.

A premiação ficou assim definida: o quarto lugar ficou com o Palmeiras do técnico Adriano, terceiro lugar com o Borússia Dortmund, do técnico Jerson Maciel, o vice-campeão foi o Vasco da Gama, do técnico Emanuel, e o grande campeão foi o Peñarol, do técnico Igor (Cigano).

O esporte reúne vários botonistas, muitos deles conhecidos em outras áreas, como o contabilista Pruda, Cristiano Vargas, da Oficina e Chapeação Vargas, e até mesmo o vereador Ismael Viezzer, assim como Roberto Idalino, do DMEL, além de dois integrantes da cidade de Taquara.

Fotos: Reprodução

2 - RFM

Diversos integrantes do RFM

Sobre o Retranca

3 - RFM

O RFM – Retranca Futebol de Mesa iniciou em 2016 com 10 participantes e foi realizado um torneio durante o ano, com turno e returno, todos contra todos com mandantes e visitantes. A iniciativa foi um sucesso.

Hoje, a liga conta com uma tabela de jogos igual a do Campeonato Brasileiro de Futebol. A vitória vale 3 pontos, empates 1 ponto, derrotas, Gol Pró, Gol sofrido, saldo de gols, pontos perdidos e aproveitamento como critérios de desenpate.

Em 2017, o clube/liga soma vinte botonistas, divididos em série A (os que começaram em 2016) e série B (os iniciantes 2017). Para 2018, caem três da série A e sobem três da B, a meta para 2018 é aumentar o número de botonistas, lembrando que é um esporte como qualquer outro, a diferença é que o Futebol de Mesa evoluiu muito, é um jogo tático, é a estratégia do xadrez com a precisão da sinuca.