Início Colunas 360 Graus por Francisco Rocha

360 Graus por Francisco Rocha

Continua depois da publicidade

Era uma vez > Era uma vez uma pacata cidade do interior… Era, uma vez, não é mais! Cada vez mais, cidades do interior tem convivido com situações de violência próprias de cidades grandes. Os moradores talvez não se deem conta, mas os números alertam. É o caso de Canela. Apesar de os crimes não serem muito graves, ainda, pode-se notar nas manchetes. Assalto a pedestre com faca, sequestro-relâmpago e a vítima ficou machucada, assalto a mão armada em mercado e assalto a mão armada em videolocadora. Arrombamentos todos os dias… consumo de drogas, tráfico de drogas. A sensação de medo começa a fazer parte da rotina de quem há alguns anos nem se preocupava em trancar a porta do carro à noite. Mesmo com o belíssimo trabalho realizado pela Polícia Civil em Canela, a gente nota que as coisas parecem estar um pouco fora de Prumo. Mas, se a Polícia nunca prendeu tanto como nos últimos anos, qual é o problema? Seria a cultura da sociedade? É socioassistencial?

Se a violência que grita e aparece ganha as manchetes de jornal e alardeia nas redes sociais já é preocupante, o que falar da violência que não aparece, aquela silenciosa, que deixa cicatrizes e feridas que por vezes nunca saram?

Preocupada em mostrar estes fatos, a Folha de Canela inicia hoje uma série de reportagens sobre a violência em Canela, com o objetivo de mostrar essa realidade à comunidade e encontrar explicações para estes fatos. Será a rede de proteção que não funciona? A sociedade ainda não acordou para esta realidade que está cada vez mais presente entre nós? Ou simplesmente a sociedade não liga para estes fatos até que eles batam à sua porta?

A Violência Nossa de Cada Dia > A matéria de hoje, primeira da série “A Violência Nossa de Cada Dia” fala sobre violência doméstica e familiar, cada vez mais presente em Canela. Os números acendem um alerta. Na próxima semana iremos tratar de fatos relacionados, a depressão na adolescência e como ela pode resultar em violência. Boa leitura!

Unopar em Canela > Conforme a coluna havia antecipado com exclusividade na semana passada, a Unopar estará com polo em Canela no final deste ano, com três cursos superiores que ainda serão definidos. Em princípio, o polo funcionará junto à ACM, no centro da cidade.

A Unopar Polo Gramado estará em breve mudando de endereço. Contando atualmente com mais de 1.000 alunos e ter contribuído com a formação de mais de 1.100 alunos graduados, ao final do ano a Unopar estará completando 10 anos de atividades em Gramado. A Universidade vai se transferir para a Rua Prefeito Nelson Dinnebier nº 463, nas antigas instalações da Malharia Lucirene, com mais de 3.000 m2 de área construída. A transferência para o novo local está prevista para Dezembro deste ano, sendo que o próximo semestre letivo dos alunos já ocorrerá nas novas instalações.

Carrinho não ganha jogo > Carrinho não ganha jogo, de fato, o que ganha jogo é bola na rede. Mas, as vezes, quando se está perdendo o jogo, para dar uma sacudida na sua torcida e até mesmo em seu próprio time, vale um carrinho na lateral, em uma jogada que não vai nem chegar perto de decidir o jogo. É mais ou menos assim que pode ser classificado o pedido de informações do vereador Jonas Bernardo, sobre um provável caso de nepotismo envolvendo o vice-prefeito, Gilberto Cezar. Canela, todos sabem, sempre foi uma cidade polarizada politicamente, mas, essa eleição foi diferente, deixou apenas dois vereadores de oposição. Constantino governa Canela praticamente como um jogo de um time só, até porque a pacificação política da cidade foi um pedido da própria comunidade.

Mas, sempre existem os descontentes, seja por desacerto político ou por pertencer a um grupo diferente, enfim… Foi essa turma que foi para as redes sociais vibrar com o pedido de informações do vereador Jonas. Acredito que a denúncia/pedido de informações vai ter tanto efeito quanto um carrinho na lateral, próximo do meio campo… Mas, de qualquer forma, depois de sete meses da nova administração, deu para a gente lembrar: opa, tem gente jogando do outro lado!

Reforma política > A Câmara dos Deputados adiou mais uma vez a votação da PEC da reforma política. Aquela que cria o distritão e o tal de Fundo Público para financiamento das campanhas políticas. Sobre o fundo, nem vou falar, é igual quando o mosquito vai embora: o fim da picada.

Já quanto ao distritão, acredito que muda pouco ou quase nada, mesmo assim é mais justo. Acaba o cociente eleitoral e simplesmente se elegem os mais votados. Ponto final. Neste ponto do fim do cociente eleitoral, para se ver que mudaria pouco ou quase nada, se a nova regra estivesse valendo nas eleições de 2016, haveria uma única mudança nos eleitos. Sairia o vereador Carlos Oliveira (PDT), com 482 votos, e entraria Emília Fulcher, com 535. Capicci?

Atenção: trecho em obras > Curioso é tu chegar na tua rua (moro em uma destas que está sendo preparada para o asfalto no Palace Hotel) e se deparar com uma monstra placa escrito ATENÇÃO: TRECHO EM OBRAS. De noite, aí o peão reduz a marcha e pensa, “senhor, vou cair numa cratera”. Qual nada, a rua tá lisinha igual bunda de nenê que não tem assadura. Tchê, fico pensando, esse raio dessa placa tinha que estar lá antes, quando os buracos esperavam em uma fila no meio-fio esperando esperando um espaço para ocupar na rua.

Curso de suporte de via em pediatria > O Grupo Força Tarefa Serra Gaúcha convida para a palestra “Suporte Avançado de Vida em Pediatria” com o médico pediatra Dr. Nicasio Haruhiko Tanaka. Ela acontece dia 26, no plenário Júlio Floriano Petersen – Câmara de Vereadores de Gramado, às 14h, com entrada gratuita. Maiores informações com o coordenador do Grupo Força Tarefa Serra Gaúcha, Jorge Moreira, através do telefone (54) 9 9667-1051.