Início Saúde Mais de 110 pessoas infectadas com sífilis

Mais de 110 pessoas infectadas com sífilis

Continua depois da publicidade

Números de casos de doenças sexualmente transmissíveis disparam em Canela. Falta de proteção é o principal fator

Quando o poeta italiano Girolamo Fracastoro criou o personagem Syphilis, em 1530, não imaginava que ele emprestaria seu nome a uma moléstia infecciosa que, segundo relatos, fora trazida às Américas nas caravelas de Cristóvão Colombo. Nos versos de Fracastoro, Syphilis é um pastor de rebanho grego que desperta a ira divina e é castigado com pústulas pelo corpo.

Mais de 500 anos depois, o mal provocado por uma bactéria volta a ser motivo de preocupação, agora entre profissionais de saúde. E ele não vem sozinho. Outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e conhecidas do homem há milhares de anos – a gonorreia é mencionada no Antigo Testamento – parecem ter retornado com a força de uma praga bíblica.

Teve relação sexual sem camisinha? Há quanto tempo você não faz um exame para detectar DST – Doença Sexualmente Transmissível? Se você não se preocupa com isso, é bom saber que as DSTs crescem em número alarmente no Brasil, algumas já estão quase sendo tratadas como epidemias e não coisa de cidade grande, não, por aqui em Canela, os números assustam. Apesar das informações sobre as DSTs circularem livremente, especialmente hoje em dia por causa das redes sociais, o jovem brasileiro não se preocupa em se prevenir. Seja por não ter tido contato com alguém doente ou por acreditar que “isso nunca vai acontecer” com ele. Essa espécie de negligência, muitas vezes inconsciente, tem a ver também com o fato de as DSTs parecerem coisa do passado, mas não são.

Os números de Canela acedem o alerta, principalmente para sífilis

Segundo o Departamento de Epidemiologia da Prefeitura Municipal de Canela, a cidade já resgistrou até agosto deste ano mais casos de sífilis que todo o 2016. Em Canela, já foram identidicados casos dos 12 aos 70 anos, mas a maior incidência está na faixa de 20 a 40 anos. Os grupos são indicados como sífilis adquirida, congênita e na gestação. As gestantes contaminadas são tratadas em um grupo diferente pela Secretaria da Saúde pois pode causar abortamentos precoces, tardios e trabalho de parto prematuro, malformações cerebrais (a exemplo de microcefalia), alterações ósseas, cegueira e lábio leporino, o bebê está ainda mais propenso a nascer com icterícia ou mesmo com hepatite. A doença também pode levar o bebê a óbito. Os números de Canela são altos e têm assustado os profissionais de saúde, principalmente porque muitos casos não são tratados em Canela, quando o paciente por vergonha procura outra cidade, ou ainda se trata na rede particular, não entrando nas estatísticas da Epidemiologia. A enfermeira Magali Dell Valle Cavinato, da Vigilancia Epidemiologica de Canela diz que os números são altos para o tamanho da nossa população, em comparação com outras cidades da região e de número de habitantes próximos aos nossos.

Os números da sífilis em Canela:

  2014 2015 2016 2017
Sífilis Adquirida 23 93 86 98
Sífilis Gestante 9 24 9 14
Sífilis congênita 0 6 4 1

 

Gráfico

Fique alerta aos sinais e sintomas

A sífilis pode ter três tipos de apresentação principal, como explicam a Dra. Brenda Hoagland e o Dr. Francisco de Oliveira. Na primeira fase da doença, que é a fase da lesão, muitas vezes, a úlcera desaparece espontaneamente depois de alguns dias ou semanas, levando ao paciente à falsa impressão de que ele está curado. Num segundo momento, que pode ser duas ou três semanas após a primeira lesão, surge um quadro clínico mais extenso, em que se pode ter lesões por todo o corpo, que podem muitas vezes ser confundidas com um quadro de alergia. Lesões nas palmas das mãos e nos pés também são comuns. O período contínuo, onde o paciente não tem sintomas, mas transmite a infecção, é chamado de sífilis latente. E nos quadros mais graves, que são anos de sífilis latente não diagnosticada, pode-se fazer um quadro muito grave de sífilis terciária, com manifestações neurológicas, e até alguns quadros de demência relacionados à sífilis não diagnosticada mais cedo.

Exame pode ser feito nos postos de saúde

O teste rápido para saber se está infectado ou não com a sífilis é rápido, simples e sigiloso. Os exames para diagnóstico da doença, assim como de outras DSTs, estão disponíveis gratuitamente em todas as unidades de saúde e qualquer pessoa pode fazer. Segundo Magali, o tratamento, praticamente a base do antibiótico penicilina benzatina (Benzetacil), que está disponível na rede pública de Canela.

Já se sabe que a utilização da camisinha nas relações sexuais é menos de 40%

A faixa etária entre 15 e 34 anos é o grupo que mais registrou crescimento de contaminação pela Sífilis entre o período de 2010 a 2016, segundo dados da Vigilância em Saúde do Brasil, um aumento de 14 vezes. Os dados refletem uma mudança no perfil dessas pessoas, que deixaram de se prevenir, e passaram a ter mais relações e parceiros. Para se ter ideia, pesquisa recente do Ministério da Saúde mostrou que nove em cada 10 jovens de 15 a 19 anos sabem que usar camisinha é o melhor jeito de evitar HIV, mas, mesmo assim, 6 em cada 10 destes adolescentes não usaram preservativo em alguma relação sexual no último ano. “Nas palestras que fizemos em sala de aula, os adolescentes no falam que para estas doenças existe tratamente de graça no SUS”, explica a enfermeira Magali, “mostrando que eles perderam o medo das doenças sexualemente transmissíveis”.

Números da AIDS também estão crescendo

A AIDS – Síndrome de Imunodeficiência Adquirida é uma grave doença causada pelo vírus HIV. A doença já não é mais novidade para os brasileiros, mas voltou à mídia com força após o assunto ser debatido pela Rede Globo de Televisão, na minissérie “Os Dias Eram Assim”, onde a personagem Nanda é infectada e morre por causa da doença. Passaram-se 30 anos desde que o surgimento da Aids era essa “novidade”. Hoje sabe-se muito sobre ela, suas formas de contágio (e de prevenção), e que existe tratamento, embora ainda não haja cura, mas uma coisa continua sendo de extrema necessidade; a proteção. Assim como no caso da sífilis e de outras DTS, extima-se que os números de casos HIV positivos em Canela sejam muito maiores que os que a rede pública tem conhecimento, uma mvez que muitos pacientes buscam o tratamento em outra cidade, por vergonha da doença, ou então na rede particular, não entrando para as estatísticas.

Os números da aids em Canela*:

2015 2016 2017
44 21 28

 

As notificações começaram a ser contabilizadas pelos municípios a contar de julho de 2016, pois anteriormente a esta data as notificações eram realizadas só pelas cidades que tinham SAE, ou seja, os dados de 2015 vieram pelo fluxo de retorno, que é um sistema de informações sobre notificações.

HPV é silencioso e todos devem ficar atentos

O HPV é o vírus sexualmente trasmissível mais comum. Cerca de 50% dos homens e mulheres sexualmente ativos nos Estados Unidos, por exemplo, já contraíram o vírus em algum momento da vida. Na maioria do casos (cerca de 90%), o sistema imunológico consegue derrotar o vírus no período de dois anos. Nesse período, no entanto, a maior parte das pessoas não desenvolve sintomas, não sabe que é portadora e pode infectar parceiros. Além disso, é possível que a pessoa só desenvolva os sintomas anos após ter tido contato com alguém infectado, tornado-se difícil a tarefa de determinar quando ocorreu a infecção.

Que tipo de doenças o HPV causa?

Tanto em mulheres quanto em homens, ele pode causar problemas como verrugas genitais, que são mais fáceis de tratar, até doenças potencialmente gravíssimas, como o câncer do colo de útero”, explica a enfermeira Magali. “Somente neste ano, identificamos 10 casos de câncer de colo de útero em Canela, em decorrência de HPV.

Vacina contra o HPV é de graça nos postos

No período de 21 a 25 de agosto, foi realizada em todo o Estado do Rio Grande do Sul a Semana de Vacinação do Adolescente. A Secretaria Municipal de Saúde de Canela esteve engajada na campanha e registrou que grande parte dos adolescentes de 9 a 19 incompletos não buscou as unidades de saúde para tomar as vacinas recomendadas à sua faixa etária, que compõem o calendário vacinal do Sistema Único de Saúde (SUS). “O número de adolescentes que efetivamente buscam as vacinas é muito baixo. Alguns desconhecem a necessidade de se vacinar, outros têm falta de motivação. Precisamos mudar esta realidade e fazer com que eles busquem a imunização e que os pais incentivem este comportamento”, destaca a enfermeira Magali Cavinato. Receberam a imunização hepatite B, 24 pessoas; febre amarela, 31; sarampo, caxumba e rubéola (tríplice viral), 12; difteria e tétano (dupla), 55; meningocócica C (contra a meningite), jovens de 12 e 13 anos, 107; papilomavírus humano (HPV), meninos 106 e meninas 120. A vacinação contra o HPV acontece até o final de setembro em qualquer unidade de saúde do município.

 Fique atendo à outras DSTs

Gonorreia

  • CAUSADOR: Neisseria gonorrhoeae (bactéria)
  • SINTOMAS INICIAIS: Secreção com pus que sai pela uretra no homem e vagina ou uretra na mulher. Coceira na uretra e ardência para urinar
  • TRATAMENTO: Prescrição de antibiótico adequado
  • PREVENÇÃO: Preservativo e higiene após a relação

 

Herpes

  • CAUSADOR: Herpes vírus humano
  • SINTOMAS INICIAIS: Formigamento, ardor e vermelhidão no local e formação de pequenas bolhas dolorosas
  • TRATAMENTO: Não há cura. O tratamento previne as erupções
  • PREVENÇÃO: Preservativo e higiene antes e depois