Início Segurança Identificados autores e mandantes da execução do bicheiro Piti

Identificados autores e mandantes da execução do bicheiro Piti

Foto: Reprodução/DP - Objetos apreendidos na ação de dezembro comprovam a materialidade dos crimes
Continua depois da publicidade

Crime é ligado à facção Os Manos, numa tentativa de dominar jogos ilícitos na região

Segundo o delegado de Polícia Civil de Canela, Vladimir Medeiros, está esclarecida a morte de Adalberto Pinto Gomes, o Piti, que aconteceu no dia 20 de julho de 2017, quando a vítima foi alvejada por cerca de 30 disparos de arma de fogo, calibres 9mm e .40, por volta das 00h30min, em sua residência na Rua Gustavo Müller, no Chacrão, em Canela.
Para os agentes da DP de Canela, ficou evidente, nos meses de investigação, que a morte foi decorrente de uma disputa por território e por arrecadação de valores de jogos ilícitos, especialmente máquinas caça-níquel e jogo do bicho, em nossa região.
Piti tinha envolvimento com um grupo de contravenção, através de jogos de azar ilegais, e sua morte foi encomendada por grupo rival, a facção criminosa do Vale dos Sinos conhecida por Os Manos.
Até o momento, três pessoas são acusadas como mandantes ou executores do homicídio no inquérito da DP de Canela, que está em fase de conclusão, e a expectativa é que a Justiça ordene a prisão dos suspeitos em breve.

Investigação levou à prisão de líder dos Manos
A investigação foi complexa, segundo Medeiros. Os autores dos disparos e os mandantes não são de Canela. Na primeira fase da investigação, a DP de Canela, em conjunto com São Leopoldo cumpriu alguns mandados de busca e apreensão, naquela cidade e em outras da região metropolitana e do Vale dos Sinos, de onde são oriundos os acusados.
Na ocasião, em 06 de outubro de 2017, o vereador de Novo Hamburgo, Fernando Lourenço (SSD), conhecido como Fernandinho, foi preso em sua casa. Lourenço é investigado por ser o mandante de quatro homicídios praticados em Canela, Novo Hamburgo, Três Coroas e Portão, integrar uma facção criminosa e tráfico de drogas. Na casa de Lourenço foi apreendido um revólver calibre .38, furtado. Ele, que é apontado como uma das principais lideranças da facção criminosa conhecida como Os Manos, foi solto um dia depois da sua prisão, mas impedido de sair de Novo Hamburgo sem autorização judicial.
A segunda fase, executada em 20 de dezembro, cumpriu dois mandados de busca em residências de alto padrão, na cidade de Campo Bom. As duas residências são apontadas como locais onde a facção tinha base para realizar as atividades de jogos ilícitos no Vale dos Sinos e Serra.
O local funcionava como laboratório para conserto de equipamentos. Foram apreendidas máquinas caça-níqueis, automóveis e objetos e documentos, valores em dinheiro e celulares que comprovam a materialidade dos crimes.