Início Segurança Polícia Civil de Canela divulga dados sobre criminalidade em 2017

Polícia Civil de Canela divulga dados sobre criminalidade em 2017

Foto: Reprodução/DP Canela - A Polícia Civil tem se concentrado para conter a violência trazida por facções criminosas do Vale dos Sinos e Região Metropolitana
Continua depois da publicidade

Queda nos índices de crimes patrimoniais e aumento de prisões são destaques do período

A Polícia Civil de Canela divulgou, na tarde de quarta, 14, dados sobre a criminalidade no Município durante o ano de 2017. O órgão policial compilou dados anuais em crimes patrimoniais (furtos e roubos), homicídios, latrocínios e prisões em flagrante desde o ano de 2012. A DP registrou, durante o ano passado, 5707 ocorrências policiais.
Os números referentes ao ano de 2017 indicam queda nos registros de ocorrências policiais em crimes patrimoniais de furto e roubo. Em 2017, foram 833 registros de furtos em Canela (crimes patrimoniais sem violência ou grave ameaça). Em relação aos roubos (crimes patrimoniais com violência ou grave ameça), foram 84 registros. Ambos os índices são menores do que os registrados pelos mesmos fatos no ano de 2016 no Município, quando foram formalizadas pela Delegacia de Polícia de Canela 1076 furtos e 110 roubos. Os números de 2017 são também menores do que os registrados no ano de 2015 (949 furtos e 92 roubos).

Foto: Reprodução/DP Canela – O delegado Vladimir diz que crimes patrimoniais de furto e roubo ainda se mostram em número elevado

As prisões em flagrante – realizadas pelas polícias durante ou logo após a prática do crime -, no entanto, ocorreram em maior número no ano de 2017, que registrou um total de 185 autos de prisão em flagrante. Em 2016, foram 156 e, em 2015, 133 prisões dessa natureza. Os números indicam forte crescimento nesse item.
Quanto aos crimes de homicídio e latrocínio, utilizados mundialmente como critério para monitorar a violência, Canela registrou, no ano passado, 7 casos ao todo. Em 2016, foram 5 e, em 2015, 8 crimes dessa natureza.
O Delegado Vladimir Medeiros, titular da Delegacia de Polícia de Canela e responsável pela compilação dos dados, informa que tais números, se corretamente interpretados, refletem informações relevantes e precisas sobre a criminalidade no Município.
Para a autoridade policial, em que pese o número de registros em crimes patrimoniais de furto e roubo indicarem queda no período, a incidência desse tipo de delito em Canela ainda se mostra elevado e demanda atuação prioritária da Polícia Civil no Município, sendo consequência direta do uso e tráfico de drogas na cidade, especialmente o crack.
Medeiros destacou que o trabalho da Polícia Civil no Município tem se concentrado principalmente no sentido de conter a violência trazida para Canela através de facções criminosas estabelecidas no Vale dos Sinos e Região Metropolitana, o que tem ocorrido nos últimos anos e feito com que a criminalidade se acentue. Ele destacou que, apesar das dificuldades enfrentadas pela Delegacia de Polícia no período, resultados importantes no combate à criminalidade têm sido alcançados em razão da dedicação dos policiais canelenses, a quem novamente elogiou.
Conforme o Delegado Regional, Heliomar Franco, as ações de repressão qualificada ao tráfico estão sendo cada vez mais intensificadas na região, visando reduzir, com isso, também os demais índices de criminalidade.