Início Gramado Suspeitos de execução são presos em Gramado

Suspeitos de execução são presos em Gramado

Continua depois da publicidade

Na manhã de segunda-feira, 26, a Polícia Civil de Canela e Gramado efetuaram a prisão de dois homens suspeitos de estarem envolvidos em dois homicídios ocorridos no mês de março em Gramado.

Ambos tinha mandados de prisão preventiva expedidos pela Comarca de Gramado. As prisões ocorreram na cidade de Caxias do Sul, local de fuga dos criminosos após os crimes. Um dos transgressores constava como foragido do Presídio de Canela, ele estaria em regime semi-aberto.

O primeiro homicídio aconteceu no dia 04 de março, na ocasião, o corpo da vítima foi encontrado às margens da estrada do Meleiro, no interior de Gramado, o cadáver estava com as mãos amarradas e com várias perfurações causadas por projéteis de arma de fogo na região do pescoço. Outros três homens já haviam sido presos por estarem envolvidos no crime.
Todos os suspeitos e a vítima cumpriam pena no regime semi-aberto, no Presídio de Canela, as investigações apontam para a execução vinculada ao tráfico de drogas.

O segundo homicídio ocorreu no dia 20 de março, na ocasião, dois homens invadiram uma residência no Bairro Três Pinheiros, executando a vítima com disparos de arma de fogo. Neste Caso, um dos envolvidos já havia sido preso na última quinta-feira, quando se apresentou na Delegacia de Polícia. Este era ex-companheiro da atual mulher da vítima.

Um dos presos nesta operação de segunda-feira, segundo investigações, foi quem invadiu a propriedade junto com o o preso de quinta-feira, executando a vítima. Conforme investigações, o outro preso de segunda-feira era o motorista da fuga dos criminosos no último homicídio.

Os criminosos são extremamente violentos e perigosos, possuindo antecedentes por latrocínio, tráfico de drogas e associação com tráfico de drogas, dentro outros. Ainda foi apurado que ambos integram uma facção criminosa que buscam o controle do tráfico na região. Após trâmites legais, ambos serão encaminhados ao sistema prisional.

Foto: Reprodução/Polícia Civil