Início 360 Graus 360Graus, por Francisco Rocha: Possível agressão, Que bom que pude fazer e...

360Graus, por Francisco Rocha: Possível agressão, Que bom que pude fazer e Kakao Der

Continua depois da publicidade

Que bom que pude fazer
Tem duas frases do delegado Vladimir Medeiros que eu sempre lembro. A primeira é “não refiro nomes”, que é a que ele mais usa e que não tem nada a ver com essa coluna.
A segunda é “a sorte ajuda quem trabalha”, essa tem tudo a ver com essa coluna e já explico porque.
Na semana passada e nesta semana, tive a sorte de se apresentarem para este colunista duas pautas muito legais, ambas com referência à Escola Especial Rodolfo Schlieper.
As duas vieram, eu não as busquei.
Na semana passada, foi muito legal contar a história da pequena cantora Maria Clara.
Nesta semana, um assunto que envolve todos os alunos da escola Rodolfo, a construção da nova sede. Tive a sorte, mas como diz o delegado…

Kakao Der I
O projeto, que você pode conhecer lá nas páginas 04 e 05, é muito legal, acredito vai trazer um diferencial para a região enquanto empreendimento turístico.
Por outro lado, a escolha da construção de uma nova escola, ainda mais uma escola especial, como forma de compensação pela construção do projeto, essa sim, foi um golaço.
Fiquei mais feliz ainda pelo fato de esta ideia ter saído do empreendedor, já que a Prefeitura queria uma terceira pista na ERS 235.
Leandro Senna é do Rio de Janeiro, convive todos os dias com uma violência e uma discrepância social que nós aqui na região nem sonhamos. Por isso, quis fazer uma escola como medida compensatória. Muito legal, legal mesmo. Aí que me refiro!

Kakao Der II
A coisa foi assim, o projeto caiu na Câmara e os vereadores não quiseram votar atropelando o prazo. Só que o prazo está suspenso por duas semanas por essa coisa que a Câmara chama de ressesso, mas, na verdade, é férias de inverno por duas semanas para os vereadores.
Agora, depois que voltarem e os trâmites, vai mais um mês até o projeto ser aprovado.
Mas claro que não iam querer, ainda mais um projeto desta importância. Não estão errados.
Quem errou foi a Prefeitura por, mais uma vez, atropelar o processo.
Essa turma que está hoje na Prefeitura estava na Câmara na gestão passada, gritava, bradava, para os prazos serem respeitados, para fortalecer o legislativo e blá, blá, blá.
Hoje não tá nem aí… votem e votem logo.
Mas, por outro lado, não vejo nenhum vereador se opondo ao projeto, acredito que passa por unanimidade e, convenhamos, é um baita projeto.
Méritos para o empreendedor, para a Prefeitura e o Conselho do Plano Diretor.

Possível agressão
A Prefeitura tem que tomar uma atitude com relação a essa possível agressão de um servidor a um popular. Dizem que os populares provocaram os servidores, mas, mesmo que isso seja verdade, como funcionários públicos, eles deveriam ter fugido, chamado a Brigada, enfim, tudo, mas não reagir com agressão ou ameaças.
Servidor, neste caso, não é polícia, não é autoridade. Vamos lá, Prefeitura, atitude e menos medinho.

Restaurante Dona Fullana
Sob o comando do casal Luh e Clério Sander, o Restaurante Dona Fullana já está com as portas abertas.
É uma nova opção para comida caseira com buffet livre ao meio dia sempre com uma sopa durante o inverno para se aquecer.
A casa oferece ainda tortas e pastéis, com um belo café, e à noite você encontra ala minutas, torre de batatas, lanches e outros pratos ala carte.
Sucesso ao Clério e à Luh.
O Dona Fulana fica na Rua Ignácio de Moraes, 352, na esquina da Delegacia.