Início PáginaDois Página Dois, por Noeli Stopassola Soares – Edição 321

Página Dois, por Noeli Stopassola Soares – Edição 321

Continua depois da publicidade

A criação de Unidades de Conservação da Natureza é essencial para evitar o chamado progresso exagerado, pois o mesmo cria problemas para a população nativa, desencadeado mudanças nas localidades.
Devido às regulamentações impostas pela legislação as populações moradoras são impelidas a modificar suas formas de apropriação dos recursos naturais.
A conservação destas unidades vem ao encontro de uma demanda das populações urbanas por um contato maior com os ambientes tidos como “naturais”, estimulando um fluxo crescente de turistas em direção a elas. Os habitantes, cerceados em suas atividades e práticas costumeiras também impelidos pela pressão econômica do turismo, voltam-se para a prestação de serviços a estes visitantes.
O espaço rural passa então a ser buscado como espaço ambiental e visto como “paraíso”, dando origem a novos territórios sociais. O poder econômico se estabelece pleiteando espaço para construção de prédios, hotéis, pousadas e as administrações sucumbem, frente às promessas por estes ofertadas.
AÍ, vêm os problemas estruturais, como: falta de água, esgotos, pluviais e cloacais sem um destino e tratamento adequado, acarretando grandes prejuízos à comunidade estabelecida. Sem falar no trânsito caótico.
Canela, infelizmente, não fugiu a isto, pois há uma semana enfrenta problemas de falta d’água e já em diversos locais observam-se esgotos saindo das caixas coletoras nas calçadas. Ex; Av. Julio de Castilhos esquina Felisberto Soares, Borges de Medeiros esquina Augusto Pestana e em outras tantas.

Alguns comentários ouvidos em relação à falta de água:
“Trancaram o abastecimento no centro porque estão mandando água para Gramado”.
“Maquinário na Rua Visconde de Mauá, atendendo obra nova sucumbindo ao poder econômico, obstruindo a passagem de água”.
“Tem que buscar ou constituir uma empresa para abastecimento da água. Corsan já era, está sucateada”.
“O reservatório de água não acompanhou o crescimento da cidade e não consegue abastecer Canela”. E assim vai…
Não sou contra o progresso, mas antes de qualquer crescimento imobiliário temos que pensar no escoamento dos esgotos, pluviais, cloacais e no abastecimento de água, além de ruas e estradas de acesso ao município com rapidez e segurança.
Não podemos ir na onda de construir, fazer, criar empregos, pois pelo que tenho notado as empresas trazem seus próprios funcionários de outros municípios, compram material para construir e edificar direto dos fornecedores e fabricantes nada somando para o comércio e empresários locais.
Portanto, vamos devagar com o andor. Pois, quem ganha é só eles, os famosos especuladores. A infra-estrutura não está acompanhando este tal de desenvolvimento, que alguns estão tentando estabelecer a qualquer custo.

Curiosidade.
A arrecadação de tributos (impostos) nos primeiros seis meses no Brasil aumentou 6,88%. O que nos aborrece é que não temos contra partida, como; investimentos na educação, saúde, segurança, estradas. Infelizmente este dinheiro só serve para aumentar a corrupção.

Ecobags.
Nos últimos anos percebidos a preocupação da população com a preservação do meio ambiente e com o propósito de findar o uso de sacolas plásticas, foi desenvolvida as Ecobags que nada mais são do que sacolas confeccionadas de material reciclável e, portanto 100% ecológicas, além de serem biodegradáveis e retornáveis ao consumo.
As sacolas retornáveis podem substituir até oito sacolas plásticas e suportar até 15 quilos, o que neste caso significa a economia de 4,8 milhões de embalagens plásticas e seu descarte no meio ambiente.
Calcula-se que cerca de 90% dos sacos de plástico acabam em lixeiras, como resíduos, ou como contentores de desperdícios. No total, são produzidas, aproximadamente, 210 mil toneladas de plástico filme, matéria-prima das sacolas, que representam cerca de 10% de todo o detrito do país.
Ao contrário das sacolas plásticas, as Ecobags podem ser utilizadas mais de uma vez, são laváveis e não agridem o meio ambiente. Devemos ser cada qual em sua profissão, e como pessoas, ‘cidadãos verdes’, comprometidos com o desenvolvimento sustentável e o uso racional dos recursos naturais, a fim de garantir para as próximas gerações, nossos filhos e netos, um planeta equilibrado onde se possa viver sem escassez e em condições dignas de direitos e necessidades básicas asseguradas.
Há empresa que, além de confeccionar Ecobags personalizadas, utiliza a reciclagem de garrafas pet para desenvolver o tecido para fabricá-las.
Hoje, já é realidade em vários países, considerados desenvolvidos; e um detalhe, “são pagas”.
Não esqueçam; separação de lixo é primordial para gerar emprego e renda. Não separar o lixo significa inutilizar tudo, privando a reciclagem do mesmo.

Em nossa cidade.
Participe: Temporada de Inverno em Canela, com shows gratuitos no Multi Palco da Praça João Corrêa.

Importante: As calçadas com pedras soltas, vamos arrumar?

Brechó da ABASC, todas as segundas, quintas e sextas à tarde junto ao hospital de Canela. Prestigiem!

Canelenses, continuem dando preferência para o comércio e serviços de nossa cidade. Faça Canela crescer, com sustentabilidade.

Feira da AMPEC, com produtos de empresas daqui, junto a Festa Colonial, no Centro de Eventos.

EXPO CANELA, a Feira de inverno de 14 a 29 de julho, nos pavilhões da Paramount, antiga Artefina. Visitem!

Vem aí: DESTAQUE FOLHA 2018, no Garfo e Bombacha, dia 31 de agosto a partir das 20h. Participe!