Início 360 Graus 360Graus, por Francisco Rocha – Baita evento, deu o que falar e...

360Graus, por Francisco Rocha – Baita evento, deu o que falar e muito mais

Continua depois da publicidade

Mas que baita evento > Hoje à noite, cerca de 400 pessoas estarão no Garfo & Bombacha para a sexta edição do Destaque Folha, o maior evento de premiação da Região. Será um baita evento, com um troféu lindo, totalmente criado, artesanalmente, em Canela, carne gorda, cerveja gelada e aquele protocolo diferenciado dos eventos da Folha. Até lá, onde os melhores se encontram!

Deu o que falar > No top 2 do trending topics de Canela e Gramado, no Facebook e WhatsApp, o acidente da Lamborghini do Super Carros e a entrevista do Bolsonaro no Jornal Nacional. Dá pra resumir os dois com uma frase: mas que bordoada!

Sobre a entrevista do Bolsonaro não vou comentar, para não sofrer ataques extremistas de partidários políticos de todos os lados. Já quanto a Lamborghini, quero deixar para vocês duas imagens, uma explica a outra, a rampa, onde a moça bateu o carrão.  Por isso ele levanta as quatro rodas do chão.

Pra quem tá preocupado com o prejuízo financeiro, vendo isso pode constatar que por menos de um metro a coisa poderia ter acabado em morte, se bem que na entrevista do Bolsonaro também.

Deu o que falar II > Deu o que falar, mas não precisava ter sido dito. A manifestação da atriz Paola Oliveira nas redes sociais, reverberada pelo diretor gaúcho Otto Guerra, chamando os gramadenses de gente interiorana, só porque foram vaiados após manifestações pró Lula, foi o fim. Não é de agora que certas pessoas nos veem como interioranos, só faltando nos chamar de caipiras, porque somos de Canela e Gramado.

Escolhem vir pra cá, como turistas, veranistas e por fim, moradores fixos, e nos consideram caipiras. Vale lembrar que quem ergueu essa região foram as famílias daqui e, como dizia a minha vó, que aliás, foi uma das primeiras moradoras de Canela, “peru de fora não se manifesta”. Esse povo vem pra cá pra ser chique e acaba faltando com o respeito com a população local.

Deu o que falar III > Vira e mexe alguém vem pra região com uma receita de bolo de sucesso, como se quem vive e trabalha aqui há anos não conhecesse sua terra e seu potencial. Os caras têm literalmente o rei na barriga.

Outro dia desses vi uma manifestação, por exemplo, sobre a Semana Farroupilha, como se o evento fosse só um festival de bosta de cavalo. Quem pensa isso não deve ter um mínimo de cultura, tradição e nem mesmo de educação e ter, de certo, bosta de cavalo na cabeça.

Seja bem-vindo Proerd > A BM de Canela está retomando as atividades do Proerd nas escolas de Canela, iniciando pelos quintos anos. Seja muito bem-vindo o Proerd. Minha filha, inclusive, participa das atividades. Além de orientar os jovens para não se envolver com drogas e bebidas, o programa fala de responsabilidade, respeito e civismo.

Tem ainda, a presença da Brigada Militar na escola, que é outra coisa muito bem vinda, afinal, as polícias precisam ser vistas em locais como estes e os alunos tem que entender que isso é bom, que o policial é amigo, além, é claro de passar mais segurança. Sempre digo, quem não gosta de polícia, deve gostar de bandido né?

Gangorra do crime > Vai longe o tempo em que o noticiário policial era ocupado somente por Canela nos veículos de comunicação. Gramado vive um tempo de proliferação de crimes como furto e roubo e vê crescer o número de homicídios relacionados a presença das facções criminosas. Tempos diferentes né?

Candidatos locais > Volto a dizer, sem entrar no mérito de propostas e outros problemas a fim, eu voto nos candidatos locais para deputado estadual e federal. Você, canelense, deveria fazer o mesmo, afinal, esses tipos que vem de quatro em quatro anos aqui, fazer gracinha com emendas oriundas de dinheiro público, que vão catar santinho no asfalto.

Facebook > Quanto mais eu vejo as discussões sobre política no Facebook eu tenho mais saudade do Orkut!

Índios > Quanto mais vejo pessoas defendendo candidatos completamente comprometidos com a corrupção, me convenço que a solução é devolver o Brasil para os índios e desocupar o imóvel. Podíamos começar, inclusive, aqui por Canela, já que eles querem tanto a Floresta Nacional do Ibama.

Jornalismo? > Quando você vê o jornalista querendo ser protagonista ao invés de ser o fio condutor da informação, pode saber que tem algo errado no processo.

Até semana que vem, quando teremos um montão de novidades aqui na Folha de Canela!