Início Canela Presa mulher que comandava o tráfico no Canelinha, após prisão de seu...

Presa mulher que comandava o tráfico no Canelinha, após prisão de seu companheiro

Foto: Reprodução/DP Canela
Continua depois da publicidade

A Polícia Civil de Canela realizou mais uma ação policial no Bairro Canelinha para o combate ao tráfico de drogas. No final da tarde da quinta-feira (30), agentes da Seção de Investigação realizaram buscas no interior de uma residência localizada na Rua Patrício Zini, apreendendo grande quantidade de crack, maconha e cocaína.

A investigada já havia sido presa por tráfico de drogas – também em flagrante – pela mesma equipe de policiais, quando apreendidas drogas em seu endereço anterior, no Bairro São Lucas. A primeira prisão havia ocorrido no início de julho deste ano.

A Polícia Civil de Canela apurou que, depois da primeira prisão, a investigada foi solta, retornando imediatamente para o tráfico de drogas, passando os agentes da Seção de Investigação a monitorá-la desde então. Na tarde desta quinta-feira, foram apreendidas quantidades de crack suficientes para fracionar até 600 (seiscentas) pedras, além de 37 buchas de cocaína e mais de meio quilo de maconha. A droga está avaliada, para venda final a usuários, em cerca de R$ 10.000,00.

O Delegado Vladimir Medeiros informa que a mulher, apesar de jovem, passou a comandar outros traficantes locais depois de que seu marido ficou preso também pela prática de tráfico de drogas. Ela concentrava a droga que distribuía a outros criminosos, ficando com a maior parte do lucro com a venda de entorpecentes no local e em outros pontos da cidade.

A ação faz parte da Operação Anjos da Lei, da Delegacia Regional de Gramado, que visa ao combate do tráfico e uso de drogas nas imediações de escolas. O ponto fechado pela Polícia Civil de Canela ficava a poucos metros da Escola Neusa Mari Pacheco, no Bairro Canelinha.

A investigada foi encaminhada para o Presídio Estadual de Canela, tendo o Delegado Vladimir Medeiros representado por sua prisão preventiva, para que permaneça presa durante a conclusão do inquérito policial.