Início 360 Graus 360 Graus por Francisco Rocha: Eleição complicada e candidatos locais

360 Graus por Francisco Rocha: Eleição complicada e candidatos locais

Continua depois da publicidade

O radicalismo que tomou conta das Eleições 2018 tornou este ano um território arriscado para quem lida com a opinião pública e isso vale para todo mundo, comerciantes, atendentes, enfim, não apenas pessoas da mídia.

Mas, fica a reflexão: é possível ficar isento com o atual momento do país?

Vou além: 90% dos jovens jornalistas que conheço são abertamente apoiadores de ideias que podem ser consideradas “de esquerda” ou “socialistas”.

Digo isso porque não acredito na imparcialidade. Sempre que produzimos algo, colocamos um pouco do que acreditamos.

Eu, por exemplo, sempre me considerei um cara de direita, mas nem por isso me considero homofóbico, racista ou machista.

Conheço muita gente que gosta das ideias de esquerdas e nem por isso são corruptas.

Mas, há muito mais entre Canela e Brasília do que pode imaginar nossa vã filosofia.

O que precisa o brasileiro entender é que as eleições deste ano vão muito além do que escolher este ou aquele. É, na verdade, um plebiscito (não o da Marina Silva) para definir se este país quer ou não eleger quem, descaradamente, roubou nosso patrimônio público.

Eu, tenho medo do resultado das urnas.

Candidatos locais

Essa semana, recebi a visita do vice-prefeito e candidato a deputado estadual, Gilberto Cesar, falando sobre sua campanha, aqui na redação.

Gilberto tem grandes chances de se eleger.

Sempre que me perguntam em quem eu vou votar, digo que meus únicos votos definidos são os de deputado estadual e deputado federal, isso porque temos um candidato canelense para cada cargo. O Gilberto para estadual e o Alberi para federal.

Falando especificamente de Cesar, vejo nele a possibilidade real de termos um canelense na Assembleia Legislativa e penso que muita gente não vê a importância disso.

Seria uma representação legítima dos interesses de Canela e da região no legislativo estadual.

Isso é muito maior que qualquer vinculação partidária, são candidatos locais e não esses caras que aparecem aqui de quatro em quatro anos para pedir voto em troca de uma emendinha parlamentar.

O mais impressionante é que se todos os eleitores da cidade votassem em Gilberto, ele estaria eleito, mas isso é utopia. Não sei porque alguns ainda preferem votar em candidatos de fora se temos um da cidade.

Além disso, o Gilberto tem capacidade para fazer um grande trabalhado como deputado. Pense nisso!