Início PáginaDois Página Dois por Noeli Stopassola Soares – Edição 336

Página Dois por Noeli Stopassola Soares – Edição 336

Continua depois da publicidade

“Forte é aquele que não desiste dos seus sonhos, Mesmo com tantas dificuldades no caminho”

O uso do cinto de segurança.
De janeiro até esta terça-feira (6), 9.689 motoristas e 306 passageiros foram multados no Tocantins por não usar o cinto de segurança. Os dados são do Departamento de Trânsito do Estado (DETRAN). Em todo o ano passado, 10.635 condutores foram flagrados cometendo a mesma infração.
O uso do cinto de segurança é obrigatório desde a lei criada em 1977, mas tem muitas pessoas que ainda insistem em descumprir as regras. Quem for flagrado nessa situação pode ganhar cinco pontos na carteira e uma multa de R$ 195,23.
Em Palmas, no mesmo período, foram 2.910 motoristas e 73 passageiros multados. Em todo ano passado, foram 3.936 condutores e 129 passageiros multados.
“Tanto faz se é o condutor ou qualquer um dos passageiros. É obrigatório o uso do cinto de segurança para qualquer pessoa que esteja dentro do veículo”, afirmou a agente de trânsito Glauce Kelly.
O equipamento de proteção faz a diferença e pode salvar vidas na hora de um acidente.
“A gente tem visto as últimas vítimas fatais de acidentes que aconteceram no Rio Grande do Sul e todas elas, em grande número, morreram por falta do cinto de segurança.
A pessoa é arremessada para fora do veículo, as pessoas que estão no banco de trás são arremessadas para o banco da frente e esse choque acaba matando as duas pessoas”, explicou a agente de trânsito.

A frase “Precisamos conversar” é a maior causa de infarto nos homens.
Um levantamento da Universidade Colúmbia feito com 1 000 homens entre 34 e 60 anos descobriu que a apreensão deles após ouvir a frase “Precisamos conversar” da boca da parceira ultrapassou o sedentarismo e a obesidade como causas de doença cardíaca.
Segundo o estudo, depois que os homens ouvem a frase, a pressão arterial sobe, os batimentos cardíacos ultrapassam o limite e alguns relatam ouvir zumbidos no ouvido.
O antídoto para o problema é repetir “Sim, desculpe” até o fim e torcer para sobreviver. Publicado em VEJA de 7 de novembro de 2018, edição nº 2607

Gratidão.
O dever da Gratidão. Num mundo em que tudo se regula por leis, perde-se não só a relação humanitária e a fé, como também o senso de gratuidade e, conseqüentemente, a sensibilidade e a gratidão.
Tudo se transforma em direitos e obrigações, destruindo o relacionamento humano. Os direitos são reivindicados. O argumento é que se paga por isso. Cria-se um ambiente de individualismo, egoísmo, azedume, sem relacionamento fraterno, sem alegria de convivência, sem comunidade.
Não se esperam nem se recebem gestos de benemerência. Os outros apenas fizeram sua obrigação… (Dom Dadeus Grings). Infelizmente estamos vivendo num mundo onde gratidão é apenas uma palavra.

Rapidíssimas.
Trafegar pelas ruas de Canela em alguns horários é um desafio para os motoristas. Os congestionamentos são comuns em vários locais da cidade.

Em nossa cidade.
Canelenses, continuem dando preferência para o comércio e serviços de nossa cidade. Faça Canela crescer, com sustentabilidade.

Brechó Natal da Criança. Neste sábado, dia 10 de novembro das 8 às 19 horas, grande variedade de roupas e calçados a partir de R$ 2,00 a peça. Na Praça João Corrêa, 77, ao lado da antiga rodoviária de canela, verba será destinada para festa de natal das crianças carentes.