Início 360 Graus A reunião que evitou o fechamento do Hospital de Canela na última...

A reunião que evitou o fechamento do Hospital de Canela na última semana

Reunião, dia 7, na Secretaria de Estado da Saúde. Foto: Reprodução
Continua depois da publicidade

Pense rapidamente: como seria Canela sem um Hospital?

“Vou colocar três ambulâncias em frente ao HCC e quero que o Estado me diga para qual hospital eu vou levar as gestantes e as emergências de Canela”. Esta frase, teria sido atribuída ao secretário Municipal de Saúde, Jean Spall.

“Vou ficar parado na porta do hospital de Canela e garanto que ninguém vai entrar para fechar”. Já esta, é atribuída ao prefeito Constantino Orsolin, acompanhada de um soco na mesa da Secretaria de Estado da Saúde.

Comitiva canelense e o deputado Ciro Simoni. Foto: Reprodução

Pois bem, uma reunião realizada na última quarta (7), em Porto Alegre, evitou justamente que o Hospital de Caridade de Canela fechasse as postas, o que resultaria, sem sombras de dúvidas, no encerramento de suas atividades.

A manutenção das atividades do HCC só foi possível diante de uma articulação política, que envolveu a Prefeitura de Canela e representantes do PDT canelense.

Ocorre que a Vigilância Sanitária do Estado vem cobrando, reiteradamente, desde 2012, que o HCC faça ajustes no CME – Centro de Materiais Esterilizados. Desde lá, o hospital vem prometendo a adequação e não realiza, seja por falta de recursos financeiros, seja na dificuldade de parar a operação da casa de saúde.

E foi aí que a coisa complicou, há cerca de 15 dias, o Hospital recebeu uma notificação da Vigilância Sanitária do Estado dizendo que iria interditar o HCC em razão do não cumprimento das muitas notificações recebidas.

Um primeiro movimento do prefeito Constantino Orsolin e do secretário Municipal de Saúde, Jean Spall, junto à Coordenadoria de Saúde, em Caxias do Sul, deu fôlego ao hospital, mas, na semana passada, não ia ter jeito, ele ia ser interditado.

Rapidamente, algumas forças políticas da cidade se juntaram para evitar o pior e sensibilizar a Secretária de Estado da Saúde que não era possível deixar Canela sem hospital.

A comitiva canelense foi composta pelo prefeito Constantino Orsolin, pelo secretário Jean Spall, a presidente do Conselho Municipal da Saúde, Marisa Slompo e o presidente do hospital, Antônio Saldanha Nunes.

Somaram-se a eles o vereador Carlos Oliveira, o presidente do PDT de Canela, Gino Bazzan, e o deputado Estadual Ciro Simoni (PDT), que já foi secretário de Estado da Saúde e conhece a realidade do HCC.

Por parte do Estado, estiveram presentes a coordenadora Regional da Saúde de Caxias do Sul e região, Solange Sonda, parte da equipe técnica da Vigilância Sanitária do Estado e o secretário de Estado da Saúde, Francisco Paz.

A mobilização canelense surtiu efeito e Canela recebeu prazo até o final deste ano para apreciação do projeto de adequação do HCC, que contempla o CME e outras dependências. A obra, deve acontecer em 2019.

Durante o período de adequação do CME à legislação vigente, Canela deverá enviar pacientes para outros hospitais ou contratar a esterilização terceirizada dos materiais utilizados no HCC.

Por hora, nosso hospital se encontra a salvo do fechamento. Hospital e Prefeitura entenderam por bem não divulgar essa informação para não assustar a comunidade, mas a mesma chegou até este colunista. No meu entendimento, a comunidade deve saber deste fato, não apenas para ter conhecimento das dificuldades da nossa casa de saúde, mas também para saber que muito tem sido feito pelo HCC, apesar de tantas reclamações.