Início Canela Servidor da Prefeitura faz acusações contra vereadores através de rede social

Servidor da Prefeitura faz acusações contra vereadores através de rede social

Continua depois da publicidade

Cemitério Municipal seria palco para vendas irregulares de túmulos e favores políticos

Nesta semana, um vídeo viralizou em Canela, através da rede social WhatsApp, contendo uma conversa gravada, talvez de forma clandestina, entre o então Chefe do Departamento de Limpeza Urbana, Luiz Felipe Neto, e um ex-servidor em cargo comissionado da Prefeitura, sobre o Cemitério Municipal de Canela.
Na gravação, ambos afirmam que o vereador Carlos Oliveira, o Carlão (PDT) realiza a venda irregular de túmulos no Cemitério Municipal, fato que seria de conhecimento do atual administrador do Cemitério. Mais adiante, o diretor do DLU afirma que iria procurar o delegado para expor os fatos, mas que teria sido alertado pelo Prefeito Constantino que não seria o momento desta exposição, pois ele precisava aprovar projetos na Câmara de Vereadores, para os quais seriam necessários oito votos.
Além de Carlão, o vereador Jerônimo Terra Rolim (PSDB) é citado na gravação, dando a entender que votaria junto ao governo em troca de auxílio financeiro para a causa animal.

Investigação
A reportagem da Folha entrou em contato com o delegado de Polícia, Vladimir Medeiros. Ele confirmou que existe uma investigação em andamento na Delegacia de Canela, mas como a mesma corre em sigilo, não revelou o nome dos envolvidos, apenas confirmando que se trata da suspeita da venda irregular de túmulos.

Contraponto
O vereador Carlão, disse à reportagem que vai tomar todas as medidas legais contra as pessoas que lhe “difamaram” na gravação. “Tenho 30 anos de concurso público, 22 deles no cemitério, sem nunca ter respondido a um processo administrativo. Se houve irregularidades no cemitério, foi por parte de pessoas que não trabalham mais lá. Já registrei ocorrência contra as duas pessoas que são identificadas na gravação”, afirmou o vereador, completando que “sempre buscou trabalhar dentro da legalidade e auxiliando a todos em um momento de dor e luto”, com referência ao seu cargo de concurso, no qual realiza sepultamentos e manutenção no Cemitério Público Municipal.
A Prefeitura de Canela, através do Departamento de Comunicação Social confirmou que Luiz Felipe Neto havia pedido sua exoneração na manhã de quarta (11), a qual havia sido aceita pela Prefeitura e, sobre os fatos, emitiu a seguinte nota:
As autoridades policiais têm ciência sobre o ocorrido e já estão tomando as providências cabíveis conforme a legislação. Um pronunciamento ou manifestação oficial por parte do Executivo só ocorrerá após a apuração e conclusão das investigações realizadas pela autoridade policial competente”.