Início Canela Canela celebra a volta do trem

Canela celebra a volta do trem

Continua depois da publicidade

Ontem (6) Canela viveu uma tarde festiva. A histórica locomotiva La Meuse, classe 0-6-0, fabricada na Bélgica em 1909, volta para Canela após passar por um grande processo de renovação assinado pela empresa MKR, de Taquara.

Curiosamente, a população canelense, 55 anos depois, voltou a esperar a chegada do trem. A máquina – um dos símbolos do desenvolvimento do município – partiu do parque temático Mundo a Vapor, por volta das 13h30min, em comboio em direção ao centro da cidade. Na antiga estação férrea, hoje denominada Campos de Canela, uma rápida cerimônia marcou a volta da locomotiva.

Fotos: Francisco Rocha – Momento em que a locomotiva era descarregada, suspensa por dois guindastes, até chegar novamente aos seus trilhos

A revitalização
O parque temático Mundo a Vapor acolheu a proposta feita pela Incoporadora Novalternativa e assumiu a recuperação do trem, devolvendo este patrimônio a Canela. Um ano depois de ser retirada da antiga Estação Férrea, onde ficou ao ser desativada há 40 anos.
O trabalho realizado pela MKR Máquinas e Usinagens, em Taquara, foi primoroso, devolvendo à Maria Fumaça detalhes que haviam sido corroídos pelo tempo e por ações de vândalos.
O empresário Márcio Roberto Krummenauer disse à reportagem da Folha que o trabalho foi tão cuidadoso que, se alguém quiser, “basta substituir a caldeira da locomotiva para ela voltar a andar”.

Estação Campos de Canella
O complexo Estação Campos de Canella resgata a história da fundação da cidade de Canela e sua relação com trens e trilhos com o Memorial do Trem. Além disso, o inédito e ousado projeto contempla espaços de cultura, entretenimento e um centro de gastronomia com pubs, cervejarias, restaurantes, cave de vinhos com produtos locais, além de quiosques comerciais, propiciando espaços variados para maior permanência do residente e do turista no local.
O empresário Fernando Bassani, diretor e um dos proprietários da Incorporadora Novalternativa, comentou orgulhoso, esse processo de resgatar a história e criar uma referência no centro da cidade: “o que mais mais nos motivou neste projeto foi a vontade da comunidade em ver a revitalização deste espaço”.

Foto: Reprodução – Primeira etapa do projeto estará aberta à visitação em 15 de janeiro

Um presente para Canela

A locomotiva faz parte de um espaço muito importante para Canela. Ela segue coberta até 15 de janeiro, quando o complexo com vagões e restauração da estação férrea estará aberta para visitação.

O prefeito Constantino Orsolin declarou a sua honra de estar presente no dia em que a locomotiva foi devolvida para Canela. “Quando o poder público e a comunidade têm a iniciativa de fazer a diferença, as coisas acontecem”, disse Orsolin.

Locomotiva foi recebida com uma grande festa, com direito à banda e grande presença da comunidade e turistas

Largo Benito Urbani

Junto com o retorno do trem, outro fato passa a ser escrito na história da cidade. A proposição apresentada pelo vereador Ismael Viezze renomeando o antigo espaço chamado Largo da Fama foi aprovada por unanimidade pela Câmara de Vereadores no dia 26 de novembro. O espaço público que estará junto ao complexo Estação Campos de Canella passará, oficialmente, a ser chamado Largo Benito Urbani.

O espaço, que fica em frente a antiga estação férrea foi denominado Largo da Fama na década de 1980, quando cidade recebia a Festa Nacional do Disco, juntamente com diversos artistas de renome nacional. Algum destes artistas deixaram suas mão gravadas em placas que foram coladas na parede da antiga estação e por isso o espaço em frente foi denominado Largo da Fama.

Muitas das placas se perderam ao longo do tempo e com a revitalização do prédio, dentro do projeto Campos de Canella, as que ainda existiam foram retiradas e o nome perdeu o sentido.

Urbani faleceu no dia 25 de março de 2017, após um acidente de automóvel, deixando um legado de empreendedorismo, trabalho e espírito comunitário.

O Largo Benito Urbani irá se conectar com a Rua Ernesto Urbani já existente, mostrando que o tempo e a história mantêm unidos pai e filho, homenageados por seu trabalho e amor por Canela.

O trem e tudo o que girava ao seu redor traduz a história da família Urbani. Na década de 20, a oficina mecânica de Ernesto Urbani em Canela atendia as serrarias que eram movidas por grandes máquinas a vapor. Herdeiros do seu talento, os filhos Omar, Benito e Hermes cresceram dentro da oficina que consertava os locomóveis. Apaixonados por máquinas a vapor, eles tinham a oficina do pai como um laboratório para a criatividade, onde passaram a criar artesanalmente diversas réplicas, reproduzindo o processo industrial de maneira minuciosa. O passatempo inspirou um novo negócio e em 1991 nascia o Parque Temático Mundo a Vapor, um dos ícones do turismo de Canela.

Espaço será batizado Largo Benito Urnabi