Início Canela Família Colombo comemora 40 anos em sessão solene

Família Colombo comemora 40 anos em sessão solene

Darci e Maria Júlia Calzetta, com a taça de campeão do futsal Máster 2018
Continua depois da publicidade

Esporte, política e bailão – a trajetória de Darci Calzetta

A Câmara de Vereadores de Canela vai homenagear os 40 anos de atividades da família Colombo em Canela, durante sessão solene, na próxima quarta, 19, a partir das 19h30min.
A família Colombo de destaca em três áreas: esporte, política e, o que o patriarca Darci Calzetta chama de entretenimento, os famosos bailões do Colombo.
A história começa em 1978, mas antes é necessário fazer um adendo sobre o nome Colombo. Segundo Darci, este era o sobrenome de seu avô, Guilhermo, que veio da Itália. O Calzetta é de sua avó, mas com essas confusões de registro que aconteciam antigamente, ele ficou com o sobrenome da vó e o apelido do vô, que deu nome também à família e aos times de futebol.
Abaixo, um simplório resumo de tudo que o que aconteceu nestes 40 anos e você pode ver porque vale a homenagem.

Darci e Gilnei na garagem que virou museu do Colombo
O sexto em pé, da esquerda para a direita, é Luiz Felipe Scolari, zagueiro do Juventude, jogando no campo do Colombo
Maju e Darci, tia Tereza, agachados Gilnei e Sandra Calzetta, em 1978, no local em que nasceu o campo e o salão de bailes

Esporte
Na garagem, uma espécie de museu do Colombo, ao lado de taças, uniformes, bandeiras, fotos e recordações, Darci (71) e seu filho Gilnei (50) falam orgulhosos do time que iniciou em 1978, como uma equipe da fábrica de móveis em vime, propriedade de Darci. A fábrica funcionava no antigo Cantão, hoje São Lucas, onde nasceu também o campo de futebol e o primeiro salão de bailes do Colombo.
Ao longo dos anos, o time cresceu e hoje ostenta 12 campeonatos de diversas modalidades de futsal de Canela e Região, além de 34 vice-campeonatos.

Bairro São Lucas

O bairro São Lucas, onde nasceu o time do Colombo, tem este nome por causa de um grupo de oração, do qual participava Darci e sua esposa Maria Júlia, além de Ari Piva e esposa, entre outros casais da cidade.

O santo escolhido para dar nome ao grupo e à capela foi Lucas, dando nome também ao bairro. “A imagem de São Lucas ainda está lá na capela, ela foi trazida por padre Américo, da Itália”, diz Colombinho.

Santinho da primeira campanha, em 1976

Política

Foi em 1976 que Colombinho concorreu pela primeira vez e se elegeu vereador pela Arena. Depois, vieram mais quatro eleições, em três, se elegeu, numa ficou suplente.

A história política tem a participação em diversas administrações, como líder partidário e liderança comunitária, tendo como principais realizações, segundo o próprio Darci, a construção das lojas do Parque do Caracol, da nova sede do Banrisul, a vinda da agência do IPE, a colocação de luz e água em partes dos bairros São Lucas, São Rafael, Canelinha, Banhado Grande e Linha São João, todas entre 1976 e 1986.

“Tenho muito orgulho de ajudar a nossa comunidade”, diz Colombinho, que cita suas viagens à Brasília, encontros com presidentes como Figueiredo e Fernando Henrique Cardoso, além de diversos ministros.

Dê-lhe festa, dê-lhe baile

Boa parte da comunidade canelense arrastava o pé nos bailões do Colombo, entre 1978 e 1986, primeiro no bairro São Lucas e depois na Rua Ruy Cunha, centro da cidade. Pelo palco do Colombinho, muita gente famosa da época cantou em prosa e verso, tais como Chico Rei e Paraná. João Paulo e Daniel, As Marcianas, Gretchen e diversas bandas que faziam sucesso no Estado.

Com Barreirito, no palco do Bailão do Colombo
Bailão lotado na Ruy Cunha