Início Luiz Antônio Alves Luiz Antônio Alves: ANIVERSÁRIO DE CANELA

Luiz Antônio Alves: ANIVERSÁRIO DE CANELA

Continua depois da publicidade

Construir uma árvore genealógica do ponto de vista da vila, povoado, cidade, município ou estado agrada pesquisadores que têm visão ampla sobre nossas origens. A construção didática de um elemento ligado às tradições familiares é também um instrumento para ajudar nossa compreensão sobre a organização de uma comunidade. E o tempo e o espaço faz as medições que explicam também a existência de uma metrópole. Desde quando nossa cidade existe? Em coluna anterior resumi a história do Rio Grande do Sul que em seu início no final do século XVIII reunia quatro grandes freguesias: Rio Grande, Porto Alegre, Rio Pardo e Santo Antônio da Patrulha. Esses 4 primeiros municípios originaram os mais de 500 existentes nos dias de hoje. Aqui viveram tribos indígenas que se apropriavam da melhor maneira em sobreviver em campos abertos ou florestas densas. Antes da cidade existiam fazendas e estâncias onde tropeiros, militares e viajantes passavam pelas trilhas e picadas em rotas que levavam a muitos lugares. Esta abordagem contempla Canela como sendo filha de Taquara e neta de Santo Antônio. É irmã de Gramado, Sapiranga, Três Coroas, Igrejinha e Parobé.
Em 1926 era o 6º distrito de Taquara, sendo considerada Vila em 1938. Com o crescimento da localidade, vários cidadãos se reuniram para a emancipação ocorrida a 28 de dezembro de 1944, através do Decreto-Lei nº 717. Esta é a data oficial de comemoração de aniversário, embora já existia gente por aqui há mais de 200 anos.
O modelo típico de planejamento urbano seguiu diversas regras, pois o calendário estabelece um conjunto de elementos culturais que ajuda a entender melhor como o grupo social pretende viver. A necessidade de dar nomes a lugares é um sinal para melhor localização. A nomeação de ruas, bairros, praças e monumentos se dá pela imposição de uma tradição onde personagens são homenageados em função de sua participação comunitária na esteira da cidadania e da história. Ruas, avenidas, praças e bairros indicam também religiosidade e outros agregados simbólicos da paisagem e da natureza.
Aponto alguns locais para ilustrar o que se descobre sobre Canela, já que pequenos detalhes indicam conhecimento e gosto pelo lugar onde temos lar, domicílio e residência: Jardim dos Pinheiros, Canelinha, Vila Mina, Vila Boeira, Vila Suzana, Vila São Lucas, Vila Luiza, Vila Wortmann, Bairro do Moinho, Vila Suíça, São José, Eugênio Ferreira, Leodoro de Azevedo, Santa Terezinha, Pedreira Santa Marta, Vila Maggi, Vila do Cedro, Vila Abreu, Bom Jesus, Vila Raymundo, 7 de Setembro, São Rafael, Saiqui, Vila Verde, Alpes Verdes, Vila Dante, Vila Haity e Bairro Caracol, entre outros.
O interesse nos detalhes é para quem gosta de aprofundar seu conhecimento em torno de uma história em que muitas gerações participam. Feliz aniversário, Canela! www.fuj.com.br