Início Denúncia Alerta: a água da sua torneira pode estar contaminada

Alerta: a água da sua torneira pode estar contaminada

Foto: Francisco Rocha/Arquivo Folha - O promotor Paulo Eduardo de Almeira Vieira e o secretário de diligências do MP Marcelo Almeida
Continua depois da publicidade

Na semana em que Corsan anuncia ampliação no sistema de abastecimento, surgem denúncias quanto à qualidade da água distribuída

Na última sexta (25), a Corsan reuniu autoridades e imprensa para anunciar o investimento de R$ 12.898.185,25, com recursos próprios, para aumentar a capacidade de abastecimento de água em Canela em Gramado.
Paralelamente, a companhia trabalha para materializar a, já criada por lei, unidade das hortênsias, que vai concentrar serviços e servidores em Gramado.
Mas, além da dificuldade de atender a demanda das duas maiores cidades turísticas do Estado, outro fato começa a preocupar ambientalistas e autoridades da região: a água que chega até sua torneira pode estar contaminada.
O Ministério Público de Canela já investiga o caso, que pode resultar em nova ação civil pública, tanto criminal quanto indenizatória. O Comitê Caí, que reúne representantes de todas as cidades da bacia hidrográfica do Rio Caí, também já fala em contaminação das águas.
Segundo o promotor Paulo Eduardo de Almeida Vieira, a ideia é exigir que a água distribuída pela Corsan em Canela passe por uma análise mais criteriosa antes de chegar às torneiras da comunidade. “Queremos análises regulares para determinar o nível de metais pesados nesta água distribuída, existem indícios que as análises atuais não mais atendem as necessidades”, destaca o promotor de Canela.
As suspeitas são de que as plantações que começam a tomar conta dos Campos de Cima da Serra estejam usando agrotóxicos que estão contaminando o lençol freático e o Rio Santa Cruz, de onde a água de Canela e Gramado é captada, a partir do Poço da Faca, em São Francisco de Paula.
Assim, a água da Corsan pode estar chegando às nossas torneiras contaminadas com metais pesados e elementos químicos, vindo dos agrotóxicos, que o tratamento convencional da Corsan não está eliminando.
Os vestígios são muito fortes”, explica um membro do Comitê Caí que preferiu não se identificar. “Já estamos fazendo estudos neste sentido e tudo mostra que isso pode realmente estar acontecendo”.
Assim, se esta suspeita for confirmada, talvez o canelense não possa mais ostentar a qualidade de sua água, afinal, na zona rural os recursos hídricos estão poluídos com esgoto, fato que já está provado, e a água tratada pode conter vestígios de agrotóxicos.

“O Município de Canela sabe que é corresponsável”
Em entrevista à reportagem da Folha, o promotor de Canela disse que “em algum momento o Município de Canela vai ter que agir na questão do esgoto cloacal”.
Segundo Paulo Eduardo de Almeida Vieira, gestão após gestão, a Prefeitura vem sendo alertada que a responsabilidade sobre o tratamento do esgoto é dela e não tem feito nada para mudar este quadro.
A batata da Prefeitura já está no forno”, avisa Vieira, ao se referir ao fato de que, a qualquer momento o Município de Canela pode ser responsabilizado pela poluição causada pela Corsan.
A Prefeitura sabe que acontece a poluição, tanto que já notificou a Corsan por mais de uma vez. Esperamos agora uma ação efetiva para mudar este quadro”, finalizou Vieira.

Foto: Reprodução/Mapio – O Poço da Faca, no Rio Santa Cruz, de onde a água de Canela e Gramado é captada