Início Canela O apito do trem volta a soar no centro de Canela

O apito do trem volta a soar no centro de Canela

Foto: Rafael Cavalli/Divulgação - Comunidade prestigiou a inauguração do empreendimento
Continua depois da publicidade

Estação Campos de Canella foi inaugurada na última quarta-feira

Canelenses e turistas, 55 anos depois, voltaram a esperar a chegada do trem e foi na noite de quarta (30) que o sino da histórica locomotiva La Meuse tocou novamente, na antiga estação férrea, acompanhada de um apito. Este simples conjunto de sons anunciava que a máquina – um dos símbolos do desenvolvimento do município – não só estava de volta, mas, novamente, traria orgulho e desenvolvimento para a cidade, desta vez a serviço do turismo.

Estação Campos de Canella
A Incorporadora Novalternativa apresentou a primeira parte do projeto à comunidade, que compreende a reforma da antiga estação férrea e da locomotiva.
Era possível ver o encantamento das pessoas com o espaço revitalizado, que será referência na região. Ao mesmo tempo, o centro da cidade ganhou mais luz e vida.

João Corrêa e Benito Urbani
Dois nomes que ficam frente a frente em Canela, João Corrêa, que dá nome à Praça, e Benito Urbani, que dá nome ao Largo em frente a Estação Férrea.
Estes dois personagens, através de uma encenação, iniciaram o espetáculo de apresentação da Estação Campos de Canela, em uma conversa, das janelas do prédio da Estação.
João Corrêa, visionário, fundador de Canela e responsável pela chegada do trem à região. Benito Urbani, que dedicou à vida ao amor às máquinas a vapor. Benito foi proprietário da única oficina da região que consertava locomotivas e é o inspirador do parque Mundo a Vapor, sócio do empreendimento no que diz respeito à recuperação do prédio e da locomotiva.

Fotos: Francisco Rocha – Encenação trouxe João Corrêa e Benito Urbani para prédio da estação

“E se chegamos aqui, então podemos ir além”
A frase acima faz parte da música cantada pelos artistas da D’arte Multiarte, empresa com know-how em construir sonhos a partir da mistura de música, dança, circo, teatro e tecnologias, mas, que dessa vez, assumiu uma responsabilidade ainda maior: contar a trajetória da própria família, Urbani.
A diretora-geral do Mundo a Vapor, Lenise Urbani Travi, lembrou que a chegada do trem revolucionou a região. “Hoje também estamos fazendo história, unindo as pessoas do passado, com a experiência do presente e a esperança no futuro”.
O prefeito Constantino Orsolin disse que “muita gente fez a vida através deste trem, muita família foi sustentada por ele. Uma história riquíssima que estava em decadência absoluta”. Por fim, citou as famílias Urbani e Corrêa como “imprescindíveis” para Canela, parafraseando Bertolt Brecht.

Espetáculo contou parte da história da cidade

Um marco para Canela
A Estação Campos de Canella é um marco na história moderna da cidade. Assim como a chegada do trem, em 1924, a abertura do empreendimento representa um novo momento, de crescimento e de afirmação.
“Que orgulho” e “nossa cidade merecia um espaço assim”, foram as frases mais ouvidas na noite.
A Novalternativa, incorporadora que desenvolveu e executou o projeto, tem planos para muito mais. Quando concluído, o espaço terá 42 espaços comerciais distribuídos 5.900m², além de uma Rua Coberta e o esperado Memorial do Trem. Além disto, o diretor da empresa Fernando Bassani já pensa em uma proposta complementar para desenvolver ainda mais o espaço. “Há alguns anos, olhamos para o lado e encontramos uma estação que estava liquidada, uma locomotiva que precisava de socorro e uma região que necessitava de amparo. Nós encaramos o desafio”, avalia. “É uma grande realização poder entregar um espaço tão importante para a cidade. Tudo surgiu daqui, é um ícone. Para nós, o sentimento é muito diferente, é a possibilidade de continuar a fazer com que fique cada vez melhor e maior. Esse é o nosso desafio”.
Talvez, no futuro, Bassani seja lembrado ao lado de João Corrêa e de Benito Urbani, por seu espírito empreendedor.

Fernando Bassani e Constantino Orsolin, no corte da fita inaugural. A tesoura, em tamanho aumentado é criação do Big Land, atração que tudo é apresentado em tamanhos gigantes

Vagão do Mundo a Vapor
Viajar no tempo através de emoções traduzidas em artigos capazes de expressar boas lembranças. Essa é a proposta do vagão do Mundo a Vapor junto a Estação Campos de Canella. O espaço é nobre, pois fica junto à histórica locomotiva La Meuse, fabricada na Bélgica em 1909, que passou por um processo de recuperação viabilizado pelo Mundo a Vapor.
O vagão do reúne peças que ajudam a contar histórias. Relógios de parede, relógios de mesa, bonecas de coleção, chaveiro com apito de trem, canecas, copos shot colecionáveis, canetas-tinteiro e uma variedade de itens fazem um resgate do tempo e podem ser um presente criativo e surpreendente.As peças são exclusivas e remetem a Revolução Industrial fazendo uma releitura elegante para adornar os mais variados ambientes.
Figurinos exclusivos foram criados para que a experiência da foto de época seja emocionante. Além da vestimenta para adultos e crianças, acessórios como chapéus, colares e malas criam a composição ideal para que a fotografia junto à locomotiva fique eternizada não só na impressão, mas também nos corações das pessoas.
Outro atrativo que chama a atenção de quem visita a boutique é o relógio a vapor que está em exposição. Ele era uma das principais atrações do Mundo a Vapor por se tratar de uma verdadeira relíquia: existem apenas dois relógios no mundo que são movidos a vapor. Um está em Vancouver (no Canadá) e o outro é este, que foi produzido artesanalmente por Omar Urbani a partir da imagem de um cartão-postal do relógio canadense.

Foto: Matias Lorenzoni/Divulgação

Estação do Chocolate Florybal
Conhecida pelas suas lojas ousadas, seu parque temático e pela produção de chocolates de alta qualidade, a fabricante Florybal Chocolates abre sua Estação do Chocolate junto à Campos de Canella.
No local, passa o trem Florybal, que traz consigo histórias, personagens em um local especial nomeado de vagão das drágeas, onde os consumidores podem experimentar os produtos da empresa de uma forma diferenciada.

Foto: Divulgação

Público
A Estação Campos Canella já abriu as portas ao público, que pode conhecer as transformações e visitar as operações que já estão em funcionamento com restaurante, café e artesanato. O Parque Alpen Park abrirá em breve seu espaço na Estação.
Horário: Fevereiro – lojas das 10h às 22h. Restaurantes das 11h às 22h.

Foto: Filipe Rocha – Na quinta (31), espaço já recebeu a visitação, o trem é a maior atração