Início Oficina da Criança Coluna Oficina da Criança: MÃES/MULHERES

Coluna Oficina da Criança: MÃES/MULHERES

Continua depois da publicidade

Março é o mês do ano marcado pelas homenagens às mulheres. Como já falei várias vezes aqui, não gosto de datas comemorativas. E modéstia à parte, dia da mulher é todo o dia, pois somos realmente incríveis.

Elisabete Schons

Então o que quero expressar neste texto é a necessidade de toda mãe em permanecer mulher, e não tornar-se apenas mãe. Isso é bem comum quando os filhos são pequenos, mas em alguns casos, é como se a mulher se sentisse culpada em manter sua vaidade, sua autoestima, seus cuidados com a aparência.

Sandra Bohn

Cada mulher é única e de uma beleza diferente, e é isso que nos torna especiais. Mas não é por cuidar do corpo, por tirar um tempo para si que a mulher deixa de ser uma boa mãe. Muito pelo contrário, nossa imagem é nosso cartão de visitas, e quem não gosta de se sentir bonita, ao menos de vez em quando?

Sariana de Lima

O sentimento de culpa por tirar uma horinha pra ir à academia e deixar novamente o filho que passou o dia inteiro na escolinha, a culpa por comprar mais um sapato ao invés de um brinquedo novo para o filho, tudo isso é normal e faz parte de um processo que precisamos aceitar dentro de nós, sem se preocupar com a aceitação das outras pessoas. E compreender que tudo tem um tempo e um momento, mas nunca se sentir culpada por ter um momento pra si.

Jéssica Silva

Eu por exemplo, voltei a dançar depois de dois filhos. Eu me permiti isso, pois isso me faltava. Certamente com eles pequenos não daria conta de uma vida tão agitada, mas eu fui me permitindo e encontrando meios de fazer tudo o que me fazia feliz. E como eu dou conta? Ora, porque sou mulher!
Sei que sou um pouco exagerada na vaidade, admito, mas percebo em muitas mães um sentimento reprimido dentro de si, como se sua vida fosse trabalhar, criar os filhos e só. Não existe mais amor próprio, vontade de se cuidar, fazer uma caminhada para liberar os pensamentos. Só que a vida passa, os filhos crescem e a gente envelhece. Os filhos, do mundo, vão seguir seus caminhos e nós vamos sentir ainda mais a falta deles se nunca tivermos pensado em nós ao menos um pouco.
Presentei as mães da minha escola com uma foto de uma fotógrafa profissional. Sei que muitas nunca tiveram esse momento na vida. Era uma foto delas, sem os filhos. A maioria envergonhada, mas ao mesmo tempo pude perceber uma sensação de felicidade escondida na timidez.
Por isso mães, não tenham medo ou vergonha de serem MULHERES. Nós precisamos e merecemos e certamente seremos mãe melhores e vamos criar filhos mais felizes!