Início Luiz Antônio Alves Luiz Antônio Alves: Distritos e Dioceses

Luiz Antônio Alves: Distritos e Dioceses

Continua depois da publicidade

Para quem inicia os estudos sobre História, Genealogia e Cultura das famílias brasileiras é importante saber alguns detalhes que surgem durante as pesquisas. Um deles é o local exato de nascimento de nossos ancestrais. Os assentamentos antigos de batismo, casamentos e óbitos eram registrados de variadas formas com indicação do local do evento, o que torna o documento indispensável para a montagem da árvore genealógica de nossa linhagem.
A Diocese, por exemplo, é a circunscrição a cuja testa se encontra o bispo. Organicamente é uma divisão da província eclesiástica, e por sua vez, se subdivide em paróquias. Dito isto, observe-se que no registro encontrado nos livros geralmente o padre da época apontava que em “tal dia, nesta parochia baptizei e pus os Santos Óleos a…”.
Ora, a paróquia abrangia diversos povoados, vilas e cidades. E a Diocese era (e continua sendo) uma área maior. Anos atrás a Diocese de Caxias do Sul incluía, entre outros municípios São Marcos, São Francisco de Paula, Torres, Flores da Cunha, etc. E a paróquia de São Marcos tem como jurisdição o distrito de Criúva que pertence a Caxias do Sul. São coisas diferentes e que devem ser observadas minuciosamente pelos investigadores do passado familiar. Esta diferença entre jurisdição eclesiástica e jurisdição administrativa de uma prefeitura é que confunde e pode gerar equívocos na localização de nascimento das pessoas. Só para lembrar: Comarca também é um território diferente em termos judiciários e que pode abranger vários municípios.
É de se avaliar condições especiais como ocorria no século XVIII onde Laguna e o litoral catarinense pertenciam ao Arcebispado do Rio de Janeiro, e Lages, na mesma província, pertencia ao Bispado de São Paulo! Situações análogas também ocorriam em outras regiões. E outro caso muito comum era a citação do termo Freguesia que era nada mais nada menos do que um conjunto de paróquias. Se um determinado documento informava que se tratava da Freguesia de Santo Antônio da Patrulha, não significava que era na vila ou cidade de Santo Antônio, pois poderia ser em outra localidade que hoje pode ser um município populoso. Se a divisão territorial já admitia distritos, os religiosos para designar outra paróquia da freguesia apontavam “no distrito de São Francisco de Paula de Cima da Serra”, etc.
Imagine o leitor quando são pesquisados os livros de Sorocaba. A cidade que recebia a feira de muares também tinha uma área enorme onde hoje ficam diversos Municípios (figura jurídico-administrativa que designa fragmentação de espaço e poder) que hoje pertencem a Região Metropolitana composta de 27 cidades e quase todos eles antigamente pertenciam a jurisdição eclesiástica de Nossa Senhora da Ponte. Este processo de divisão territorial acontece em todo o Brasil.