Início 360 Graus 360 Graus por Francisco Rocha: E o vento levou…

360 Graus por Francisco Rocha: E o vento levou…

Continua depois da publicidade

O prefeito Constantino e eu temos várias coisas em comum, uma delas é o hábito de fumar. Quarta (7), havia estacionado meu VW Sedan 1300 em frente a Prefeitura, fui pegar o ticket de estacionamento (porque o entendimento do Departamento Municipal de Trânsito é diferente do que estabelece o decreto sobre a permanência de veículos de imprensa nas vagas do rotativo), e como tinha um tempinho para o próximo compromisso, acendi um cigarro.

Olhei para cima e estava o prefeito, em sua sacada, também fumando um cigarro. Nisso chega a secretária do gabinete com um papel, que voa pelo vento e cai próximo de mim.

Para evitar que o papel voasse para ainda mais longe (podia se tratar de um documento oficial), fui lá e peguei o papel. Ele caiu com a parte escrita para cima, segurei ele com entre os dedos, dobrado, de forma que apenas o verso ficasse exposto, voltei para a calçada e falei para o prefeito: “não vou ler, tá”?

Ele me olhou e disse, em um tom meio resignado e outro intrigado: “já leu, né”? Nisso chega a secretária, lá na calçada para buscar o papel, trabalhei com ela na Prefeitura e reconheci a letra dela no formulário. Claro que eu havia lido!

Se tratava da exoneração a pedido de Paulo Nestor Tomasini, que o vento trouxe, aleatoriamente até onde eu estava.

Eram 11h25min, às 11h30min o promotor Paulo iniciaria uma coletiva, no outro lado da rua, sobre o afastamento de Tomasini.

E o vento levou II

Tentei puxar pela memória e encontrar em um canto das minhas recordações um outro caso parecido com este do afastamento de Tomasini. Não encontrei nada, na Região, que chegasse perto do afastamento de um secretário municipal via medida liminar. Isso reflete a seriedade que o MP e o Judiciário veem no caso da coleta de lixo.

Perguntei ao promotor Paulo como ele via esse grande número de ações civis e criminais que tem ocorrido em Canela, ele justificou com a organização do MP, Judiciário e Polícia Civil nos últimos anos.

Da conversa ficou a certeza que novas ações judiciais vem por aí, assim como eu havia cantado a pedra desta, do lixo… Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.

– – – – – –

Convicções I

Eu simpatizo demais com o prefeito Constantino, chego a entender determinadas atitudes dele. Como eu disse no primeiro tópico, temos coisas em comum, além de sermos fumantes, torcemos para o Grêmio, nos estressamos, trabalhamos mais que deveríamos… entendo mesmo o prefeito!

Uma das coisas que sou mais cobrado pela minha família/equipe são as minhas convicções. Alguns podem chamar de teimosias, mas não são, juro.

As vezes chego a perder o sono tentando planejar o máximo algumas ações. Quando tomo uma atitude, uma decisão, é claro que ela foi pensada antes. Aí amigo, não adianta, você pode até me chamar de teimoso, mas para fazer eu trocar de ideia vai ter que me trazer um argumento lógico capaz de derrubar a minha convicção, me provar que tua ideia é realmente melhor.

Isso é convicção, teimosia é outra coisa, como continuar assistindo as partidas do Grêmio no brasileirão na esperança de que queiram jogar bola…

Convicções II

Mas, convicções estão aí para serem desfeitas, contra fatos não há argumentos. Nestas alturas do campeonato, no ano passado, acreditava que nada poderia ser mais leniente, preguiçoso e sem criatividade que o governo Sartori. Pois bem, está aí Eduardo Leite para nos provar ao contrário e lá se vai uma convicção pelo ralo.

Eu, que sempre defendi as privatizações e venda de imóveis improdutivos, vejo nosso governador sendo preguiçoso, querendo resultados imediatos e dinheiro no cofre, sem criatividade e sendo preguiçoso.

Um exemplo é o Parque do Caracol. Dinheiro fácil, né, Eduardo Leite? E os outros imóveis improdutivos que o Estado tem em Canela? Estão são mais difíceis de vender e vão dar menos dinheiro…

Em entrevista com o promotor Paulo, ele sugeriu que Canela deixasse o Parque do Caracol para o Estado e tirasse o abastecimento de água da Corsan. O Caracol arrecada cerca de R$ 5 milhões por ano, a água mais de R$ 20 milhões.

Pois bem, esta semana formei mais uma convicção: temos que lutar para manter o Caracol e tirar o abastecimento de água da Corsan.

– – – – – – – – – – – – – – – –

Tiro no pé!

Quando você lê ou escuta a expressão “velha política” lhe vem a cabeça velhas raposas, donas de currais eleitorais, não é mesmo?

Mas a expressão também descreve a velha maneira de fazer política, atacando quem está no poder para lucrar votinhos ali na frente.

Aí você vê dois tiros no pé bem claros que aconteceram em Canela, um deles foi a denúncia do então vereador do MDB, Danany, sobre a falta de investimento no Parque do Caracol, que agora virou essa novela do fica e não fica.

A segunda é ainda mais intrigante, o agora secretário Paulo Tomasini sendo processado e afastado por uma denúncia feita por ele próprio quando era vereador, sobre o superfaturamento e mau serviço prestado na coleta de lixo.

Fico pensando no que vem por aí, em 2020. Chega a dar um arrepio…

– – – – – – – –

Curtas (igual bainha de calça de vedete)

• Sucesso absoluto a Festa Colonial de Canela! Aí que me refiro!!!

• Dia 28 de agosto é o Dia Nacional do Voluntário. Tem muita gente que deveria ser homenageada em Canela.

• A Lei Maria da Penha completou 13 anos, mas a violência contra a mulher só aumenta no país, prova que leis, sem educação, são vazias.

• Apesar de o prefeito Constantino só querer falar em sucessão a partir de 2020, tem bastante gente mexendo os pauzinhos agora, com vistas as eleições do ano que vem. Que coisa!

• Vem aí mais uma formatura do Proerd, na minha opinião, o mais importante programa da Brigada Militar.

• Torcendo para um GreNal na final da Copa do Brasil e na semi da Libertadores. Mostrar para CBF e Conmebol quem manda no continente!!!