Início Meio Ambiente Telhado verde, a alternativa climática do futuro

Telhado verde, a alternativa climática do futuro

Continua depois da publicidade

Curso com aulas teóricas e práticas será promovido pela Ecologin, no final de outubro.

É possível, e relativamente fácil, ter um telhado ecológico. A Ecologin Paisagismo e Casa Ecológica promove nos dias 26 e 27 de outubro o curso Telhados Verdes: Ingredientes e Modo de Fazer. A ideia é oferecer uma visão teórica e prática sobre telhados verdes, voltada a profissionais de arquitetura e construção, empreendedores do setor turístico e todos os interessados nesse tipo de intervenção vital para construções residenciais e comerciais. Haverá visitas a telhados verdes implantados sob diferentes técnicas em Gramado e Canela.

“A ideia é trocar a cobertura tradicional por um ecossistema que trará benefício dentro e fora do ambiente, por meio de tecnologias seguras e supertestadas ao longo de décadas. A abordagem inclui a implantação efetiva de telhados verdes, consolidando os conhecimentos”, afirma José Francisco Benetti, diretor da Ecologin, com larga experiência em paisagismo e bioconstrução, que implanta telhados verdes desde 1999.

Uma forma bonita de ajudar a cuidar da biodiversidade e do clima, os telhados verdes são uma prática consolidada em países mais desenvolvidos. Para se ter uma ideia, em cidades da Suíça os telhados verdes são obrigatórios em todos os edifícios novos. Na Alemanha, mais de 12% dos prédios do país já possuem algum tipo de vegetação no topo. No Brasil, Recife sancionou Lei Municipal que obriga novos prédios residenciais com mais de quatro pavimentos e área coberta acima de 400 m² a implantarem telhados verdes.

Outras opções de formação:

A Ecologin tem mais cursos agendados para os próximos meses. Jardinagem Ecológica Básico (módulo 2), com 20hs/aula de duração, marcado para os dias 30 de novembro e 1º de dezembro, está aberto a novos participantes e aos que desejarem aprofundar as informações da primeira etapa. Apresenta técnicas de jardinagem com viés ecológico e sustentável, desde o cuidado com o solo, seleção de plantas e suas características, adubação, plantio, condução e poda, controle de plantas invasoras, combate a pragas e doenças.

Já o curso de Bioconstrução, com início em janeiro de 2020, propõe a construção de uma casa ecológica completa em seis meses, considerando os princípios teóricos e filosóficos, aplicabilidade prática e a viabilidade técnica e econômica. Serão módulos em regime de imersão com aulas teóricas e práticas, alojamento e alimentação no local e arredores, um final de semana por mês.

Benetti destaca que será um curso totalmente vivencial, habilitando o inscrito a construir a sua própria casa, administrar sua obra ou prestar serviços a terceiros com conhecimento e experiências: “Haverá, ainda, a possibilidade de fazer voluntariado no intervalo entre os módulos para ampliar as práticas de construção”, antecipa.