Início Prefeitura Constantino assina outorga do Aeroporto Internacional das Hortênsias

Constantino assina outorga do Aeroporto Internacional das Hortênsias

Secretário Nacional da Aviação Civil, Ronei Saggioro e Prefeito de Canela, Constantino Orsolin no momento da assinatura Foto: Divulgação
Continua depois da publicidade

Na semana em que Caxias do Sul anunciou a garantia de R$ 3 milhões para o Aeroporto de Vila Oliva, o que parecia ser um balde de água fria no projeto canelense, a Prefeitura de Canela traz, em contraponto, o que parece ser o passo definitivo para a implantação de um Aeroporto na cidade.

O prefeito Constantino Orsolin e o secretário adjunto de Obras, Germano Junges, assinaram na tarde de hoje (23), na secretaria nacional da Aviação Civil, em Brasília, a outorga para o Aeroporto Internacional das Hortênsias. O ato contou com a presença do secretário da pasta Ronei Saggioro.

A construção do novo aeroporto deve acontecer por meio de parceria público-privada (PPP). O investimento estimado é de R$ 185.733.511,33. “Conseguimos mais uma etapa neste projeto, o próximo passo será a renovação da licença ambiental, em março de 2020”, comenta o chefe do executivo canelense.

Feito isso, em junho do ano que vem, o governo municipal pretende lançar o edital da PPP para, no final de outubro, abrir a concorrência pública.

O aeroporto é uma demanda que passou a ser buscada em 1986. De lá para cá, os argumentos para a construção do empreendimento ganharam mais força. Isso porque, com os problemas de mobilidade urbana, o fato de não desembarcar no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, facilitaria o tráfego de visitantes. “De 100 passageiros que pousam na Capital, a metade vem para Canela e Gramado, e daqui é de onde eles partem para outras cidades, conforme o tempo que permanecem”, salienta Germano Junges.

No feriadão de Páscoa deste ano, 48 aeronaves de pequeno porte aterrissaram em Canela – algumas vindas de fora do país. Amparado por dados, Junges justifica que a Região das Hortênsias recebe cerca de seis milhões de visitantes por ano e os seus 295 meios de hospedagem representam quase 20% de todos os leitos no Rio Grande do Sul.

Segundo números do Ministério do Turismo, a Região das Hortênsias é a terceira mais desejada por quem visita o Brasil. Isso, somado a outras justificativas, evidenciam a importância de Canela acolher a tão desejada construção do aeroporto internacional.

Assim, parece que os dois projetos devem andar paralelamente, com vantagem para Canela que tem seu andamento mais adiantado e não depende exclusivamente de verbas públicas.