Início 360 Graus As lições que ficam após o assalto com reféns em Gramado

As lições que ficam após o assalto com reféns em Gramado

Continua depois da publicidade

Gramado e Canela viveram dias tensos, de muito medo, desde a última sexta (1), quando, em menos de 10 dias, tiveram dois assaltos com reféns. Na segunda vez, porém, houve enfrentamento, troca de tiros, policiais atropelados e bandidos vagando pelas cidades tentando escapar, após a montagem de um forte aparto de segurança.

Antes de mais nada é necessário destacar a coragem e a perícia das forças policiais, no enfrentamento desta situação, com pronta resposta.

Por outro lado, fica claro que em situações extremas, é necessário mais efetivo, tanto de PC quanto BM, bem como maior integração das duas polícias.

O grande número de fake news que circularam nas redes sociais só aconteceu por falta de informação oficial. Entendo, claro, a urgência da situação, mas é um fato e não pode deixar de ser citado, pois os moradores estavam, e ainda estão, assustados.

O famoso cercamento eletrônico de Canela, que nunca acontece, fez falta. E olha que é um investimento de R$ 300 mil que dará um grande retorno em termos de segurança.

Por fim, e mais importante, é preciso reconhecer que segurança pública é um problema de todos, União, Estado e Municípios. Nestes últimos é onde a coisa acontece.

Canela e Gramado mudaram, não mais pequenas cidadezinhas de interior. Agora, a população convive com situações de regiões metropolitanas. Passam perigo e medo.

Que nossas lideranças municipais acordem para esta questão enquanto há tempo. Crescimento nem sempre é desenvolvimento. Os sintomas estão aí, só não vê quem não quer.

Falta força política ou vontade de fazer força?

Há algum tempo não tínhamos um comandante de BM de Canela com tanta vontade e competência quanto o Capitão Mascharin. O Estado vem e troca o comando.

A gente pede que ele fica e não leva…

Não sei, não entendo. Falta força política ou falta vontade de fazer força?