Início Polícia Polícia Civil de Canela apreende adolescente que matou Zoreia

Polícia Civil de Canela apreende adolescente que matou Zoreia

Continua depois da publicidade

Claudiomir Francisco Rech da Silva foi morto a tiros, em 12 de novembro

A Polícia Civil de Canela busca 100% de esclarecimentos nos homicídios ocorridos na cidade neste ano. Apesar do número elevado de crimes contra a vida em 2019, índices da Delegacia de Polícia de Canela são surpreendentes.

Na manhã desta terça-feira (03), agentes da Seção de Investigação apreenderam um adolescente acusado de matar, na tarde de 12 de novembro, Claudiomir Francisco Rech da Silva, vulgo “Zoreia”. A vítima estava em um bar na localidade denominada “Escadaria”, no Bairro São Lucas, quando foi surpreendido pelo infrator, morador do Bairro Santa Marta. Após tentar fugir descendo as escadas do local, a vítima foi atingida por um disparo de arma de fogo nas costas, vindo a cair e a ser alcançado pelo infrator, que ainda efetuou outro disparo na cabeça da vítima, na região da nuca. Claudiomir chegou a ser socorrido, mas chegou sem vida no Hospital de Caridade de Canela.

A Polícia Civil de Canela investiga os fatos desde aquela tarde, tendo identificado o autor da infração dois dias depois do homicídio. O adolescente chegou a ser ouvido na Delegacia de Polícia e confessou os disparos contra a vítima, detalhando o ocorrido. Desde então os agentes do órgão policial trabalham para formalizar as provas contra o adolescente, que teve contra ele pedido da Polícia Civil de Canela de sua internação provisória.
O adolescente foi detido em sua residência, no Bairro Santa Marta. Conduzido à Delegacia de Polícia e, posteriormente, à FASE em Caxias do Sul, onde cumprirá medida socioeducativa de internação.

Em Canela, a PC descobre
O Delegado Vladimir Medeiros, titular da Delegacia de Polícia, referiu que a cidade acompanhou o aumento significativo de homicídios neste ano, que já tem 12 mortes contabilizadas (contra a metade no ano passado, ou seja, seis homicídios em 2018), mas também pôde verificar que, em todos os casos, a Polícia Civil conseguiu identificar os criminosos responsáveis, buscando a solução com prisão na totalidade das mortes dessa natureza.

A autoridade policial destacou que, por se tratar de crime contra a vida, o compromisso dos policiais civis é de esclarecer tudo com prisão e de maneira mais ágil possível. Medeiros chegou a destacar que os crimes ocorridos neste ano, em boa parte, são praticados por jovens entre 16 e 20 anos, os quais acreditam na impunidade sem se dar conta de que, na cidade, o trabalho dos agentes policiais é extremamente qualificado e dedicado, de modo a que, “se matar em Canela, a Polícia Civil descobre”.

Fotos: Reprodução/DP Canela