Início Meio Ambiente Polícia Civil prende dois por venda de terrenos irregulares em Canela

Polícia Civil prende dois por venda de terrenos irregulares em Canela

Continua depois da publicidade

A Polícia Civil de Canela realizou, nesta terça (17), nova fase da Operação Invasões, que combate a venda irregular de terrenos, parcelamento irregular do solo urbano, crimes ambientais e estelionatos no Município.

Na quarta fase das investigações, denominada “parcelamento”, policiais civis prenderam dois investigados. Eles são acusados de vender irregularmente terrenos na cidade, praticar crimes ambientais pelo desmatamento e também estelionato, entre outras ações criminosas.

Agnaldo Lima Borges, o Bugio, já havia sido preso anteriormente pela Polícia Civil pela prática dos mesmos delitos, em junho deste ano, durante a segunda fase da Operação Invasões. Em liberdade, voltou a praticar venda irregular de terrenos, tendo sido flagrado, em setembro, praticando crime ambiental pela PATRAM no Bairro São Luis.
Os dois criminosos foram encaminhados ao Presídio Estadual de Canela, para cumprimento de prisão preventiva, sem prazo para soltura.
O Delegado Vladimir Medeiros, titular da Delegacia de Policia de Canela e responsável pelas investigações, referiu que a venda irregular de terrenos e o parcelamento irregular do solo urbano têm sido enfrentados pela Polícia Civil no Município nos últimos anos, que contabiliza sete prisões até o momento.

Durante as investigações foram juntadas centenas de documentos dando conta da prática criminosa de venda de terrenos, muitos em área pública ou de preservação permanente, em que são proibidas construções. Medeiros disse que “as investigações foram realizadas com apoio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da PATRAM, para que restassem configuradas as práticas dos crimes”.
A Polícia Civil de Canela informou, ainda, que os compradores de terrenos, mesmo pagando valores elevados pelo imóvel, acabem sendo vítimas porque, na grande maioria das vezes, não conseguem regularizar as áreas, geralmente localizadas em terrenos públicos ou de preservação permanente, sendo proibido qualquer tipo de construção.
A quinta fase da Operação Invasões será realizada nos próximos dias.

Fotos: Reprodução