Início Canela Primeiro homicídio do ano em Canela foi crime passional

Primeiro homicídio do ano em Canela foi crime passional

Continua depois da publicidade

Polícia diz que informações importantes foram ocultadas em boletim de ocorrência registrado pela vítima

A Polícia Civil de Canela segue investigando o feminicídio seguida de suicídio, ocorrido na manhã deste sábado (11), por volta das 10h, em Canela. Segundo o delegado Gustavo Barcellos, que responde temporariamente pela Delegacia de Polícia da cidade, o único ponto a ser esclarecido é o motivo pelo qual a vítima era perseguida, mas com grandes avanços.

Conforme o delegado, o boletim de ocorrência registrado pela vítima no dia 23 de dezembro junto à BM deixou de mencionar fatos importantes, o que prejudicou a avaliação do perigo daquela situação.

Neste momento, “não cabe dar mais detalhes do ocorrido, uma vez que o inquérito vai encerrar sem indiciamento, pois o autor está morto e não foi identificada nenhuma pessoa que teria colaborado com os fatos. Resta dizer que se tratou de crime passional e que o fato da omissão de informações importantes no registro feito pela vítima prejudicaram a avaliação do mesmo e por este motivo não houveram mais ações que poderiam ter impedido as mortes”, afirmou Barcellos à reportagem da Folha.

Entenda o caso

Na manhã do último sábado, Roselaine Candida da Silva, 45 anos, foi atacada a tiros dentro de um mercado no centro de Canela. Ela e companheiro caminham pela rua quando avistaram Manoel Adelar da Silva, 63 anos. Ela se dizia perseguida por Manoel inclusive tendo registrado uma ocorrência na Brigada Militar, no final de 2019, afirmando que o homem a perseguia, sem ela saber o motivo, e que não tinha nenhum tipo de relacionamento com ele.

O casal entrou no mercado, quando Manoel sacou um revólver calibre 32 e realizou quatro disparos contra Roselaine, que caiu, sendo arrastada pelo seu companheiro para traz dos caixas. O atirador saiu do mercado e se dirigiu à Rua Borges de Medeiros, próximo à esquina com a Sete de Setembro, local conhecido como Morro da Cruz, aonde efetuou um disparo contra sua própria cabeça.

Roselaine foi atendida pelo Bombeiros e levada ao Hospital de Canela, mas, não resistiu aos ferimentos e morreu no início da tarde de sábado, quando estava sendo transferida.

O atirador também foi socorrido pelo Samu, após disparar contra a própria têmpora, mas morreu logo em seguida. Manoel não possuía antecedentes policiais. Ele estava aposentado da função de pedreiro, na Prefeitura de Canela, função que exerceu até o final de 2019.