Início Gramado Gramado – Produção de laboratórios limita vacinação contra Influenza

Gramado – Produção de laboratórios limita vacinação contra Influenza

Continua depois da publicidade

Produção de laboratórios limita vacinação contra Influenza

A Campanha Nacional contra Influenza, em Gramado, aplicou 1.790 doses na segunda-feira (23). Após o término das unidades, a vacinação foi retomada nesta quarta-feira (25), quando outras 1.000 imunizações foram efetuadas no município, também esgotando logo.
Esse volume de vacinas destinado aos municípios da 5ª Coordenadoria Regional de Saúde (em que Gramado está inserida) já equivale a 54% do total de doses referentes a esta primeira fase – em que são priorizados idosos acima de 60 anos e profissionais de saúde.

De acordo com o secretário da Saúde de Gramado, João Teixeira, não há previsão para que o município receba mais unidades. “A limitação de vacinas destinadas ao município ocorre porque a produção dos laboratórios está insuficiente. Os laboratórios produzem as vacinas e passam pro Ministério da Saúde, que é quem encaminha para os municípios”, explica. “Deste modo, não temos à disposição todas as dosagens. As vacinas estão sendo liberadas conforme os laboratórios produzem”, pontua Teixeira.
Esta alta demanda decorre da antecipação da Campanha Nacional contra Influenza – que foi motivada pela pandemia do coronavírus.

Calendário
A primeira etapa de vacinação segue até dia 15 abril. Após, professores da rede pública e privada, doentes crônicos e profissionais das forças de segurança e salvamento podem se vacinar até 8 de maio. A última fase, que inicia no dia 9 de maio, priorizará crianças de seis meses a menores de seis anos, pessoas entre 55 e 59 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas com deficiência, povos indígenas, funcionários do sistema prisional e adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.
Em 2019 a média de aplicação de vacinas era de 500 por dia. Assim sendo, os primeiros dias de imunização em 2020 já superaram a média do ano passado.

Foto: Ilton Müller