Início Meio Ambiente SkyGlass Ferradura: um marco para Canela, um marco para o Brasil

SkyGlass Ferradura: um marco para Canela, um marco para o Brasil

Foto: Divulgação/SkyGlass Ferradura
Continua depois da publicidade

Empreendimento une tecnologia e sustentabilidade numa das mais lindas paisagens do Estado

Francisco Rocha

[email protected]

Sustentabilidade, tecnologia e natureza, tudo isso a um passo do cânion da Ferradura, em uma vastidão de verde cortada pelo Rio Caí. É neste contexto que rapidamente vai surgindo um dos maiores empreendimentos turísticos da América Latina, que será um marco para Canela e para o Brasil: o SkyGlass Ferradura.

A convite do vereador Marcelo Savi, acompanhado do secretário de Turismo de Canela, Angelo Sanches, a reportagem da Folha foi visitar as obras do empreendimento, que deve ser inaugurado em novembro, localizado no antigo Parque da Ferradura, zona rural de Canela.

Veja o vídeo sobre a visita ao empreendimento

A plataforma

A atração, que será única na América Latina e uma de três no mundo, é uma plataforma que avança 35 metros de cumprimento sobre o cânion da Ferradura, com piso de vidro, a 360 metros de altura até o Rio Caí.

Não bastasse esta sensação, de andar sobre o vidro transparente, com a visão do cânion e de todo o vale montanhoso, abaixo da plataforma irá funcionar uma espécie de teleférico, com oito cadeiras suspensas sobre o leito do rio.

Plataforma em construção. Fotos: Francisco Rocha

A expectativa é de que uma média de 2000 pessoas visitem o local por dia, em alta temporada.

Empregos e renda

Segundo o gerente Fabrício Medeiros, o empreendimento vai gerar 50 empregos diretos e aproximadamente 300 empregos diretos. Além disso, todo o material é adquirido de fornecedores canelenses, salvo produtos que não podem ser adquiridos na cidade.

Outro detalhe é de que este empreendimento vai gerar cerca de R$ 2 milhões em arrecadação de impostos para os cofres públicos de Canela.

Vereador Marcelo Savi e o gerente do SkyGlass Ferradura, Fabrício Medeiros

Recursos naturais respeitados

“Viemos para criar uma identidade, fortalecer a fauna e aflora. Queremos ter um exemplo na diminuição da poluição”, disse Fabrício.

Chama atenção o fato de que nem mesmo pedras retiradas nas escavações, nem terra, saem do parque, o material é reaproveitado na obra.

Medeiros diz que a sua moderna estação de tratamento de esgoto será modelo, com 98% de pureza da água na saída do processo. Um detalhe é que o uso de papel higiênico biodegradável possibilitará o descarte no vaso sanitário, evitando a geração de lixo.

A água, após a saída da estação, será usada para regar os jardins e outros usos no parque. A água da chuva também será reutilizada nos vestiários, bilheteria e outras áreas de trabalho no parque.

O secretário Angelo Sanches acompanhou a visita ao novo empreendimento

Sem corte de árvores

O alicerce do novo mirante foi erguido sem o corte de nenhuma árvore, com a ideia de realmente preservar a mata nativa do local.