Início Canela Caso Rambinho: dois indiciados por homicídios e outros crimes

Caso Rambinho: dois indiciados por homicídios e outros crimes

Continua depois da publicidade

Polícia Civil de Canela concluiu as investigações sobre o crime que chocou a comunidade canelense

A Polícia Civil de Canela concluiu, nesta quinta-feira (28), as investigações sobre a morte de Luiz Henrique Valim dos Santos Junior, conhecido como Rambinho. O crime ocorreu na tarde do dia 13 de maio, no Distrito Industrial, quando a vítima sofreu um disparo de arma de fogo em seu peito, falecendo minutos depois.
Dois investigados foram presos preventivamente pela Polícia Civil no último dia 17. Eles permanecem presos e são apontados como executor (V.K.) e mandante do crime. Um dos investigados foi preso na posse de um revóver calibre .38, que foi encaminhado à perícia para ser apurado se é o mesmo utilizado no homicídio da vítima. V.K. estava, ainda, na posse de R$ 10.000,00 e uma mala de roupas.
O Delegado Vladimir Medeiros, titular da Delegacia de Polícia de Canela e responsável pelas investigações, informou que a vítima foi atraída através de ligação telefônica para o Bairro Distrito Industrial, onde o executor, de dentro de um Astra prata com placas clonadas, efetuou um disparo com arma de fogo no peito da vítima, que acreditava estar indo ao encontro de um cliente para fechar um bom negócio.
A Polícia Civil, ainda, informou que o crime deu-se em razão de desavenças comerciais e pessoais havidas entre a vítima e o mandante da execução.

“A vítima havia sido atraída ao local do crime supondo estar indo ao encontro de um cliente para fechar negócio. As investigações comprovam que os dois investigados foram ao local do crime, cada um em um carro diferente. Após o executor efetuar o disparo contra o corpo da vítima, os dois autores deixaram o local em direção à localidade de Passo do Inferno, onde o Astra prata foi completamente incendiado. Dali, os dois investigaram fugiram juntos”, disse o delegado.

Para a prática do crime, o mandante teria feito o pagamento de um veículo e mais R$ 3.000,00 em dinheiro ao executor. Este carro, um GM Celta, foi apreendido pela Polícia Civil de Canela.
Os dois investigados foram indiciados por homicídio, qualificado por emboscada e por ser realizado mediante pagamento, porte ilegal de arma de fogo, incêndio criminoso, falsidade ideológica e receptação.

Fotos: Divulgação/PC Canela