Início Canela Escola Neusa Mari Pacheco comemora produção de suas quase 4 mil árvores...

Escola Neusa Mari Pacheco comemora produção de suas quase 4 mil árvores frutíferas

Continua depois da publicidade

Cinco mil garrafas de suco de uva foram distribuídas entre alunos e vendidas para ajudar nas despesas do centro agrícola

Com mais de 3 mil pés de laranja e bergamota, 200 pés de caqui e 500 parreiras, além de outras frutas, a Escola Neusa Mari Pacheco – Ciep, conhecida como Canelinha, comemorou a produção registrada em 2020. Somente no que se refere à uva, cerca de 5 mil garrafas de suco totalmente natural e sem conservantes foram distribuídas entre os alunos e comercializadas, para custear as despesas do centro agrícola neste ano na instituição, localizada em Canela, município abrangido pela 4ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE).

RECEBA GRATUITAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

Com iniciativa, engajamento e dedicação, a escola, que oferece Ensino Fundamental e Ensino Médio Politécnico, é reconhecida como escola pública referência em educação de tempo integral, e valorizada por seu modelo de projeto educacional com participação efetiva da comunidade.

Neste ano, em virtude da pandemia de covid-19 e de dificuldades com transporte, não há atividades com alunos no local. Porém, o centro agrícola do Canelinha não deixou de dar frutos. “A manutenção de tudo isso dá muito trabalho, mas a produção das frutas é uma alegria e orgulho para nossa comunidade”, destacou o diretor, Márcio Gallas Boelter, ao elogiar o empenho da comunidade em manter o local.

“O projeto político-pedagógico da escola é vivido integralmente por toda a comunidade escolar. Isso demostra que é possível mudar a realidade da população por meio da educação”, ressaltou Viviani Devalle, coordenadora da 4ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE).

História da instituição

Fundada em 1913, sem sede própria e localizada em um bairro marginalizado, a escola e toda a comunidade sofreram um processo de transformação. Em meados de 1979, foram feitos investimentos na recuperação social e econômica da população local e o Canelinha teve papel fundamental no processo. A partir daquele momento, os pais dos alunos começaram a participar da discussão e na concretização de ações da escola, encontrando uma direção e um corpo docente extremamente abertos e acolhedores às iniciativas da comunidade, transformando-a no que ela é hoje.

O centro agrícola da instituição foi criado em 1994, na localidade da Linha São João, e transformou uma antiga escola rural abandonada em um local produtivo. O idealizador do projeto foi o antigo diretor da escola e hoje prefeito de Canela, Constantino Orsolin, junto com pais, alunos, professores e colaboradores daquele período.

Em 2004, o Círculo de Pais e Mestres (CPM) da instituição comprou mais um pedaço de terra para ampliar a produção – hoje são 14 hectares, sendo sete deles para a preservação permanente da mata nativa, onde são desenvolvidas atividades pedagógicas e recreativas com os alunos, que participam do processo de produção agrícola, sempre sob coordenação de professores e do diretor, Márcio Boelter.

O atual diretor da instituição era um dos alunos da escola quando o centro agrícola foi criado, em 1994. São 22 anos trabalhando na escola, nove deles na direção. Márcio foi vice-diretor, lecionou Língua Portuguesa, Literatura, Filosofia, Agricultura, além de ter trabalhado também no financeiro da instituição. A história do diretor ilustra o engajamento da comunidade e o empenho em manter uma instituição que dispõe de infraestrutura e recursos como piscina, quadra de esportes e sala de informática.

Foto: Arquivo Folha