Canela,

22 de maio de 2024

Anuncie

Polícia Civil de Gramado realiza operação contra integrantes de grupo criado por motoristas de aplicativo

Compartilhe:

Na última quita (11), a Polícia Civil iniciou operação de repressão a integrantes do grupo denominado GAT (Grupo de Apoio Tático), criado para dar suporte e auxílio a motoristas de aplicativo.

A investigação iniciou a partir do registro de ocorrência de roubo, realizada em Gramado no dia 14 de setembro do corrente ano por um motorista de aplicativo, integrante do mencionado grupo. Na Delegacia de Polícia de Gramado, o homem afirmou ter sido assaltado, ocasião em que foi agredido e teve seu celular subtraído por um grupo de pessoas.

No curso das investigações, apurou-se a inexistência do roubo.

Ficou demonstrado que um grupo de jovens, adolescentes na sua maioria, havia encontrado o celular na via publica, sendo o aparelho levado para a casa de um deles. Na verdade, a alegada vítima no roubo havia perdido o aparelho ao sair embriagada de um restaurante.

A partir daí, descortinou-se a ação dos integrantes do denominado GAT, que foi acionado pela alegada vítima, procedendo na “apuração privada do fato”.

Neste contexto, na noite seguinte, três integrantes do denominado GAT sequestraram um dos adolescentes no centro de Gramado, arrebatando-o quando deixava uma lancheira. Na sequência, levaram o jovem até uma localidade  rural, em Gramado, e procederam a atos de tortura física e emocional, com o objetivo de que o celular fosse devolvido e como castigo por ter participado do alegado roubo, que se provou inexistente. A vítima foi espancada, além de ter sofrido com ameaças de morte e coações perpetradas  pelo criminosos. Junto com o trio também estava uma mulher, que não participou diretamente da sessão de tortura.

Em momento posterior, o celular encontrado pelo grupo de jovens foi entregue nesta Delegacia de Polícia.

Ainda assim, no dia 17 de setembro, parte dos jovens foi novamente coagida por motoristas de aplicativo, integrantes do denominado GAT, sendo levados até uma espécie de QG do grupo, no Bairro Avenida Central, onde foram ameaçados e coagidos pelo líder do grupo, denominado “zero Um”, a “retirarem” a ocorrência contra o GAT.

Prosseguindo na apuração, logramos identificar o líder do grupo, denominado “Zero Um”, bem como dois do responsáveis pelo sequestro e tortura do adolescente arrebatado no centro de Gramado.

Diante dos fatos, a Polícia Civil representou pela prisão preventiva dos suspeitos, bem como por mandado de busca e apreensão em suas residências e no QG do grupo.

Pela Justiça foi deferida a busca e apreensão, cumprida em Caxias do Sul, ontem pela manhã, na casa do líder do grupo, bem como em Canela e no QG do GAT em Gramado, este último local vistoriado hoje.

Na casa do líder do grupo foi apreendida relevante quantia em dinheiro e um celular/smartphone, além de outros objetos.

As investigações prosseguem no sentido de identificar os demais envolvidos nos crimes.