Canela,

20 de junho de 2024

Anuncie

Cabelo

OPINIÃO FORTI

Márcio Diehl Forti

OPINIÃO FORTI • O ontem, o hoje e o amanhã #009

Compartilhe:

O Ontem!

Eu sempre acredito que devemos olhar pra frente. Projetar o futuro e pensar demais no que queremos para nossa cidade e como ela pode melhorar nossa qualidade de vida. Mas não devemos esquecer nossas raízes e também por tudo o que passamos até chegarmos nos dias atuais.

Me lembro de bater bola em terrenos baldios que hoje são prédios na nossa cidade. Torneios na bacia, no farelão, peladas no meio da rua na carinhosamente chamada pela minha turma de “Vila Cão”. Corria de bike pelas vielas da praça, andava de skate em rampas improvisadas pela cidade e saia a pé pra ir jogar peladas no SESI e na Celulose. A única exigência dos meus pais ao sair pelas minhas aventuras: deveria chegar antes do anoitecer. Senão a coisa ficava séria!

 • SIGA O MÁRCIO NO INSTAGRAM

O Hoje!

Os tempos mudaram. Não vejo hoje a possibilidade de crianças de oito, nove anos saindo por aí para jogar bola, correr rua e se divertir em espaços como citei anteriormente. Existem espaços públicos atualmente: sim. O parque do Lago, o Parque do Palácio, a nova praça situada no Canelinha são exemplos. Infelizmente a insegurança, as novas formas das próprias crianças se divertirem e também a estrutura que alguns locais oferecem dificultam isso. Alguns dias atrás vi uma gurizada batendo bola na quadra pública do parque do Lago. Fica nítida a falta de manutenção e sim, eu sei que muitas vezes o vandalismo existente na nossa sociedade impede que as coisas corram de forma natural. O Parque do Palácio segue no seu abandono e ali tenho certeza que poderíamos ter diversos espaços para a prática de diferentes modalidades esportivas.

• LEIA TODAS AS COLUNAS DE MÁRCIO DIEHL FORTI

O Amanhã!

Eu desejo do fundo do meu coração que nossa cidade tenha um parque poliesportivo. Com quadras estruturadas, arquibancadas com ótimas condições e salas para a pratica de diversas outras modalidades. Se fala há anos que seria na Celulose, mas não vejo nada acontecer.  A notícia da semana passada dada pelo prefeito Constantino é que o valor da venda do terreno atual da rodoviária será toda destinada a isso. Desejo que tenhamos espaços espalhados pelas mais diversas comunidades que fomentem o desejo da gurizada em conhecer novas modalidades e que se invista também em profissionais que eduquem esportivamente essa turma. Existem projetos interessantes em artes marciais e futsal por exemplo. Devemos sim pensar nisso como algo não apenas esportivo, mas de saúde pública e também de segurança. Quantas vidas podem ser transformadas através do esporte. Quanto mais cedo nossas crianças tiverem acesso a ele, menos chances terão de terem seus caminhos desviados!