Canela,

23 de junho de 2024

Anuncie

Com trabalho sobre o “espaço para o novo” e referências náuticas, João Luís Rockenbach vence 21º Concurso UCS/Cootegal Design de Moda

Compartilhe:

Exposição das produções, três delas também premiadas com menções honrosas, ocorre de 6 de dezembro até 6 de março, no Instituto Hércules Galló

A 21ª edição do Concurso UCS/Cootegal Design de Moda, realizada na sexta-feira, dia 2 de dezembro, consagrou como primeiro colocado o trabalho do acadêmico João Luís Rockenbach, intitulado “O Espaço que o Novo Ocupa”, resultado de um processo criativo que remonta à sua jornada de autoconhecimento enquanto escoteiro do mar. Como prêmio, o estudante da graduação em Moda da Universidade de Caxias do Sul recebeu uma viagem nacional, a ser utilizada com foco em aprimoramento na área de estudos, ou a possibilidade de um estágio na Cooperativa Têxtil Galópolis – Cootegal.

Parte de uma história que define como de libertação e aceitação, João considera o período um divisor de águas para que se sentisse confortável na própria pele. “Foi no grupo de escoteiros que me senti acolhido e abraçado por minhas diferenças, amarrando nós da amizade que até hoje não foram desfeitos”.

Ao revisitar esse período de sua adolescência, percebeu como as cores, formas e volumes do universo náutico estão presentes em sua memória afetiva. “O barco representa esse espaço de transição entre o João de antes dos escoteiros e o de depois. A técnica do origami adotada resgata um dos distintivos que carreguei no meu uniforme para ganhar uma nova interpretação, aplicada ao vestuário”. O casaco se transforma em um barco de origami, com uma modelagem que não gera resíduos têxteis, como consequência do origami planificado. A técnica do “zero waste” consiste no aproveitamento máximo do tecido e propõe diminuir o descarte da indústria de confecção.

“Perceber o meu projeto como um dos vencedores desse concurso histórico é muito gratificante. Sou uma pessoa que está sempre de olho no futuro, mas aqui precisei encarar o passado. Um processo doloroso, mas ao mesmo tempo gostoso, e que vou repetir para construir projetos futuros”, declarou, junto a um sentimento de profunda gratidão a todos os que participaram dessa construção.

RECEBA GRATUITAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

Menções Honrosas

Ainda, os alunos Bruna Wrzesinski Zeni, Natalia Viero de Farias e Cassiano Falcão receberam menções honrosas e, pelo resultado, ganharam cortes de tecido da Cootegal para utilizar nas próximas criações.

Bruna Zeni apresentou Vênus, a beleza do feminino, a provocação e o encanto. “Da inspiração na roupa da Barbie, o tailleur é transformado em peça contemporânea com ombros amplos e marcados – símbolo da emancipação da mulher anos 80 – e com linhas geométricas, inspiradas nos tetos das estufas vitorianas. O equilíbrio entre mostrar e esconder a pele”. As mangas verdes quando elevadas criam a sensação de uma flor, assim como o par de brincos que emolduram o rosto. Aplicações de volumes no quadril e no busto com feitio de espinhos envolvem o corpo e desabrocham em beleza. “Um volume que seria indesejado no quadril e na cintura, mas que traz força e presença”, pontua.

Natalia Farias, com a coleção Ser e Estar, rememorou sua família, o amor e o acolhimento. A criação da blusa partiu de uma pesquisa sobre o efeito capitonê, que é aplicado em toda a peça, utilizando pespontos em verde lima e 96 botões forrados. A peça possui modelagem ampla, gola chaminé com efeito canoa e barra assimétrica, lembrando o encosto de um divã. “A bermuda possui cós anatômico, que representa o sentir-se encaixada no ambiente familiar, barra larga e pences com efeito de modelagem e decorativo. Os manguitos bufantes com punho alto, botões forrados e abertura em formato de prega representam os braços de uma avó italiana, poderosa e forte. E para fechar o look, o cinto grosso em lã trabalhada com fivela forrada a mão, acinturado à peça como um grande abraço”, explica.

Cassiano Falcão trouxe como proposta o Metamorfismo, em um look com várias possibilidades para a mesma peça, no qual uma bolsa se transforma em vestido, em uma capa ou uma saia. “Remete ao imaginário, sobre algo que não me era permitido quando criança, por se tratar de pertences do mundo feminino, como sonhar em ter uma boneca. Mas, quando chegava em casa, pegava um super-herói e imaginava ser uma princesa. Toda vez que via um lençol, automaticamente, ele se transformava em um vestido, igual ao da Cinderela. Bastava apenas usar a imaginação”, conta, sobre o processo de se sentir livre para ser e usar o que quiser, “ou melhor, o que a imaginação permitir”.

Confira

As criações ficarão expostas para visitação da comunidade de terça-feira, 6 de dezembro, até 6 de março, no parceiro do concurso Instituto Hércules Galló (BR-116, 1579, Galópolis, Caxias do Sul – RS).

Concurso

Com promoção do curso de bacharelado em Moda e do Programa de Linguagens da Arte da Universidade de Caxias do Sul, o concurso desafia os alunos a aplicarem os conhecimentos adquiridos durante a formação na elaboração de um look em lã, com a técnica de moulage, que reúna conceitos de identidade própria à qualidade necessária para a execução no tipo de material.

Participaram desta edição 14 alunos das disciplinas Criação em Design de Moda V e Moulage Criativa, sob coordenação das docentes Adriana Job Ferreira Conte e Gilda Eluíza De Ross, respectivamente. Elas respondem ainda pela coordenação do evento, juntamente com a curadora Mara Galvani

RECEBA AS NOSSAS NOTÍCIAS AGORA TAMBÉM PELO TELEGRAM

Júri

Os jurados que avaliaram as criações dos 14 alunos participantes desta edição do prêmio foram a estilista Carla Carlin, a designer de moda Carina Godinho, o arquiteto e urbanista e integrante da diretoria do Instituto Hércules Galló, Renato Solio, a assessora e pesquisadora de moda nacional e internacional Rosana Reginatto, e o administrador Sidnei Canuto, vice-presidente da Cootegal Tecidos.