Canela,

20 de abril de 2024

Anuncie

Chico

360 GRAUS

Francisco Rocha

Coluna 360 Graus — 15 de Dezembro de 2022

Compartilhe:

A essência positiva do Natal de Canela


Nesta terça (13), havia escrito uma coluna para o Portal da Folha, elogiando a edição do Sonho de Natal, em especial a decoração da cidade e o espetáculo “Era Uma Vez no Natal”, do Fernando Martinotto.
No texto, salientei a importância do resgate do Sonho de Natal, a valorização dos talentos locais e a essência lúdica que nosso maior evento sempre teve.
Como é bom ver o canelense e turistas se encantando. Isso mostra que é possível melhorar sempre e fazer um grande evento na cidade.

A importância da Operação Cáritas


A Polícia Civil de Canela cumpre um grande papel no combate à corrupção. Já foram alguns milhões bloqueados judicialmente, imóveis, veículos e valores em conta correntes de investigados que, sendo os acusados condenados, serão utilizados para compensar os cofres públicos.
Além de resgatar estes altos valores, a Operação Cáritas mostra à sociedade quem é quem no xadrez político local, encaminha os acusados à Justiça e, no mínimo, se confirmados seus crimes, ficaram sem poder assumir cargos ou contratar com o poder público.
É uma limpeza gradativa que está sendo realizada, com o também excelente trabalho do Ministério Público e do Poder Judiciário.
Destaco um trecho da sentença do Juiz da 1ª Vara Judicial de Canela, Vancarlo Anacleto, em sua decisão que autoriza 100% dos pedidos da PC, nesta 10ª fase:
“A comunidade de Canela sofreu enorme abalo na garantia da ordem pública como jamais havia experimentado anteriormente, sendo que as investigações, algumas já encerradas e com ações penais em andamento, revelaram um enorme esquema de corrupção com envolvimento de agentes públicos e setor privado, além de agremiação partidária”.

Pagos com dinheiro público e recebendo vantagens pessoais


Imaginem, leitores, o secretário de turismo, a adjunta de turismo e o diretor geral do maior evento da cidade, todos pagos com dinheiro público para trabalhar em prol da cidade, realizarem uma sociedade, abrirem uma empresa para administrar um espetáculo da cidade, como o show de luzes da Catedral, buscando patrocínios para sua empresa, com esta grana indo parar em seus bolsos.
Qualquer cidadão com um pouco de moral não faria isso porque é errado, mas neste caso, fizeram sem medo de serem punidos, e é o que destaca o Juiz Vancarlo no final de sua decisão, o sentimento de impunidade:
“Há que se dar uma resposta imediata e rigorosa, pois tudo demonstra que a atuação de tais investigados na prática delitiva não é nova e vem se perpetrando em Canela há vários anos”.

Servidores afastados


No caso dos investigados e presos na Operação Cáritas, há um sentimento de perplexidade na comunidade. São pessoas que até pouco tempo encontrávamos em eventos e ações da Prefeitura, alguns com os quais até tínhamos contato profissional, em especial, nós da imprensa. Enfim, todos conhecidos.
Quanto aos servidores, disse a decisão judicial: “Tais servidores públicos, de uma maneira ou de outra, tiveram atuação nos projetos e contratos sob suspeita de fraude, conforme depoimentos colhidos e documentos anexos à investigação. Pela forma e atuação do Secretário do Turismo em sua pasta, o procedimento adotado não poderia ser de desconhecimento de quem lá trabalha havendo, no mínimo, omissão de tais servidores. Há indícios de que poderiam seguir agindo a mando do ex-secretário”.

Certeza da impunidade movia os suspeitos


Chama atenção que tudo isso aconteceu embaixo da barba de todos, com muitos envolvidos e não foi detectado por nenhuma instância de controle. Coube à Polícia Civil a coragem e a competência de investigar a maracutaia.
Ainda, com os suspeitos tranquilos se locupletando com o dinheiro público, há um trecho da decisão judicial:
“Após totalmente afastado da Prefeitura, os elementos de prova indicam que continuou com a prática delitiva e, graças a seus contatos que seguem na Prefeitura, não cessam os prejuízos aos cofres públicos, demonstrando estar imbuído do sentimento da impunidade, de estar imune à fiscalização ou qualquer ato de repressão, indicando, de forma clara e concreta, que tal organização não vai parar”.

Até onde vai a Operação Cáritas?


Durante a coletiva de imprensa referente à 10ª fase da Operação, o delegado de Canela, Valdimir Medeiros, relatou que é questionado até onde vai a Operação Cáritas. Ele disse que assim como quando seguem acontecendo agressões contra mulher a polícia segue investigando e prendendo, assim como quando seguem acontecendo homicídios a polícia segue investigando e prendendo, na corrupção, enquanto ela continuar existindo, a polícia vai seguir investigando e prendendo.
Lembro de um cidadão que, no ano passado, chateado com algumas pessoas presas chegou a sugerir que “Canela precisa ir em frente, com ou sem Vladimir”.
Por certo, quem é contra a Operação Cáritas, ou concorda ou se beneficia dos esquemas de corrupção. Eu, pessoalmente, prefiro Canela com Vladimir e sem corrupção.
Aliás, aqui é a parte em que eu destaco o trabalho incansável e competente da Polícia Civil de Canela, do Ministério Público e do Poder Judiciário. Aí que eu me refiro.

Mais informações exclusivas
na próxima semana

Em tempo, na próxima semana você confere uma nova matéria exclusiva com mais informações sobre a Operação Cáritas e o desdobramento das prisões realizadas, como o resultado das audiências de custódia e pedidos das defesas.
Na Folha, você já sabe, a informação chega sempre primeiro.
BOM FIM DE SEMANA A TODOS!