Canela,

24 de fevereiro de 2024

Anuncie

Justiça mantém prisão de Angelo Sanches, mas solta Elias da Rosa e Fernando Marques

Compartilhe:

Sanches foi preso na manhã de 14/12/2022, pela 10ª fase da Operação Cáritas

Ex-secretário e produtores culturais haviam sido presos preventivamente na quarta (14), na 10ª fase da Operação Cáritas

A 1ª Vara Judicial de Canela, após audiência de custódia, decidiu sobre a prisão do ex-secretário de Turismo de Canela, Angelo Sanches, e dos produtores culturais Elias da Rosa e José Fernando Marques.

Angelo teve a sua prisão preventiva mantida e relaxou as de Elias e Fernando.

Segundo o Juiz Vancarlo Anacleto, quanto a Elias e Fernando, “sem o líder (Sanches), a tendência é que os demais não pratiquem constrangimento para a continuidade das investigações, influenciando possíveis testemunhas e partícipes, como poderia ocorrer com a liberdade de Angelo. Deverão eles manter endereço e telefone atualizado no inquérito e eventual ação penal, comparecendo a todos os atos, não podendo haver qualquer mudança sem prévia autorização judicial, apresentando-se em cartório quinzenalmente. Além disto, não poderão, por si ou suas empresas, participar de qualquer espécie de contratação com a Administração Pública enquanto durar este procedimento, tampouco terem contato com testemunhas ou, de qualquer forma, prejudicarem as investigações”.

“A comunidade canelense, como já referi na decisão anterior, está estarrecida com os fatos. O abalo da ordem pública é enorme. Primeiro, crimes no hospital da cidade, com Chefe do Poder Legislativo e Secretaria de Obras, através de seu secretário e alguns servidores, envolvida no escândalo. Mais representativo partido político atuante na cidade sob investigação”, disse o Magistrado.

“Conforme exaustiva fundamentação posta na decisão que decretou as prisões e demais medidas cautelares, o foco da investigação é o ex-secretário do Turismo, sendo que em todos os fatos apurados e que podem caracterizar crimes há participação de Angelo Sanches Thurler. Dentro da organização criminosa que se instaurou na Secretaria do Turismo e espalhou seus tentáculos em diversos eventos e atividades públicas, com a participação de empresas privadas, a liderança apontada pela Autoridade Policial é exclusiva de Sanches.

Manutenção de contrato de publicidade

Ainda, a Prefeitura de Canela pediu a manutenção do contrato com a empresa responsável pelas publicidades do Município, uma das 22 proibidas de contratar com o Poder Público, após decisão judicial referente à 10ª fase da Operação Cáritas.

“Algumas situações, em particular, devem ser analisadas e, à luz do interesse público, podem ser reconsideradas. Afinal, a suspensão da prestação de alguns serviços pode causar mais prejuízo para a sociedade do que aquele que se quer evitar com a ordem judicial”, afirmou Anacleto, liberando a manutenção de negociações já existentes e vedando a contratação de novos serviços.

Também, o Juiz afirmou que “antecipo que o Executivo Municipal, na medida em que demonstrar a necessidade de manutenção de outras prestações de serviço em andamento com as demais empresas investigadas e que foram atingidas pela ordem deste juízo, poderá requerer medida análoga, evitando maiores prejuízos para os cofres públicos e para a cidade de Canela”, o que traz uma boa perspectiva para a manutenção do show de projeções e luzes do Sonho de Natal, um pedido da Associação Comercial e Industrial de Canela e de comerciantes canelenses.