Canela,

21 de abril de 2024

Anuncie

Leo de Abreu

VIRE O MATE

Leo de Abreu

VIRE O MATE – Fundo da Grota e tal

Compartilhe:

Tana nona nona nona nonanonumm nummm… e segue em mi maior. O batido pedido de todo lugarzinho com uma música ao vivo. Não estive no norte do brasil, mas desconfio seriamente que a composição “Do funda da Grota” já foi pedida até na Bahia pelos axé se alguém parecido com sulista se apontasse. Uma música que conheceu o sucesso! E aquilo, não foi um sucesso passageiro como as músicas que nos aparecem todo verão como o Lepo Lepo e coisarada… essa está perpetuada já como a Tordilho Negro e Cancionero das Coxilhas. Uma curiosa história onde uma marca de baile tão regional, foi se indo, indo e estorou Brasil a fora. É uma composição que tem seus méritos, de um artista que tem sua identidade muito bem definida, de fato. Mas é um tanto curioso, por assim dizer, que a pouco tempo essa composição se misturava entre as outras sem esse pomposo destaque. Vou tentar dizer o que aconteceu:

É uma música dessas que a letra parece ter o próprio cheiro do galpão. Retrata custumes diários e aquilo que cotidianamente algum campeiro passa e visualiza, nas remotas grotas do pampa.  A melodia dessa canção parece ter a mesma essência xucra da história que ela narra. O Baitaca, criador da canção, tem isso com ele. Uma pegada missioneira encruada quase de alguém que parou no tempo!

Da maravilhosa internet que nada perdoa surge um perfil cômico, tal de Santo Fole. Ali foi o estouro! Com dublagens carregadas de sotaque, mostraram o lado da classe de quem toca bailes e executa a tal fundo da grota por aí.

• Siga Léo de Abreu no Instagram

“Se não tocar fundo da grota, não adianta e não adianta…”

Agora, não há show de estilo nenhum que deixe de faze  a tal música do Baitaca no Rio grande inteiro já tem pelo menos dois anos. Que bom que mais uma música ganhou o Brasil. Baitaca fez o mesmo que Gaúcho da Fronteira com a É Disso que o Velho Gosta, e Texeirinha com Querencia Amada. Por motivos e motivações totalmente diferentes é claro, afinal ele ainda não tem outra obra de igual tamanho pra figurar como uma referência desse mesmo tamanho fora do sul. Que seja! Ela não é um meme. Engraçada a situação dela nos bailes por parte de quem toca já que ela nunca pode faltar e isso é fato, todos tocam o mesmo trancão. Que bem!

Mérito ao seu criador.

Inclusive, diga-se de passagem, outras letras deste mesmo compositor vão de contra a muitos valores democráticos discutidos hoje. É valido dizer que a personalidade que ele representa enquanto um homem gaúcho, é dele. Cada qual que cante a sua verdade…

Que tri seria se tantas obras como as de Gujo Texeira, Rogério Villagran, Mauro Moraes… homens assim que igual ainda cantam hoje nosso campo bem como ele é, pudessem ter igual reconhecimento hein… sim! Que tri seria. Tu conhece esses? Mostrou pra alguém conhecer? Só vamos