Canela,

29 de fevereiro de 2024

Anuncie

Vigilância Sanitária vistoria estabelecimentos devido a proibição da venda e uso de pomadas para modelar cabelos

Compartilhe:

A Vigilância Sanitária de Gramado está atenta a proibição da ANVISA no que se refere ao uso e comércio de pomadas para modelar, fixar e trançar cabelos. A vigilância atua fazendo vistorias nos estabelecimentos para cumpram a determinação da autoridade federal. O motivo da restrição são os efeitos adversos graves como, por exemplo, cegueira temporária, ocorridos em diferentes localidades do Brasil com diferentes marcas de produtos.

Vale ressaltar que, por ora, não existe marca ou produto seguro e que todos estão proibidos. Caso o cidadão esteja com algum sintoma de intoxicação por esses produtos ele deve, além de procurar atendimento médico, acessar o link https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/cosmeticos/pomadas para notificar a ANVISA.

RECEBA GRATUITAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

O que devo fazer?

Consumidor

  • – Não use ou adquira esses produtos;
  • – Se fez uso recente, lave os cabelos com cuidado, sempre lembrando de inclinar a cabeça para trás, para que o produto não entre em contato com os olhos;
  • – Em caso de contato acidental com os olhos, lave imediatamente com água em abundância;
  • – Em caso de qualquer efeito indesejado procure imediatamente o serviço de saúde mais próximo de você;
  • – Em caso de efeito indesejado, notifique o caso à Anvisa por meio do endereço https://pesquisa.anvisa.gov.br/index.php/368782?lang=pt-BR.

Profissionais, salões e comércio em geral

  • – Não utilizem esses produtos em nenhum cliente;
  • – O manuseio do produto também pode trazer risco aos aplicadores;
  • – Não comercialize esses produtos enquanto a medida estiver em vigor;
  • – Não existe determinação de recolhimento no momento, mas o produto deve ficar separado e não deve ser exposto ao consumo ou uso.

RECEBA AS NOSSAS NOTÍCIAS AGORA TAMBÉM PELO TELEGRAM

Em Gramado, o canal do Fala Cidadão pode ser acessado pelo cidadão para realização de denúncias através do telefone (54) 3286-2500 ou mensagem no WhatsApp (54) 9 9941-7997.

Crédito: Ascom/PMG