Canela,

17 de abril de 2024

Anuncie

Queijaria de São Francisco de Paula conquista Indicação Geográfica para Queijo Artesanal Serrano

Compartilhe:

Foto: Fernando Dias - Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação.

Mais uma queijaria gaúcha recebeu o registro de Indicação Geográfica (IG), na modalidade Denominação de Origem (DO), dos Campos de Cima da Serra ao Queijo Artesanal Serrano. É a Queijaria Sopro do Minuano, de São Francisco de Paula. O ato aconteceu na tarde desta quinta-feira (23/02), na Câmara de Vereadores do município. A IG representa reconhecimento das especificidades da região.

Na ocasião, o extensionista da Emater/RS-Ascar Orlando Júnior Kramer Velho, coordenador do Projeto do Queijo Artesanal Serrano no Rio Grande do Sul, fez uma apresentação sobre a IG, destacando que “ela serve como um instrumento de proteção para um produto de uma determinada região, que tem como característica principal as nuances daquele território para chegar num produto final diferente do que é produzido em outras regiões”. Ele também ressaltou o compromisso dos produtores que estão na IG/DO com a qualidade do produto, com o crescimento do número de queijarias que vêm conquistando o registro. “A Sopro do Minuano é a terceira no RS com IG/DO para o queijo serrano e deve trazer mais outras copiando esse exemplo”, enfatizou.

RECEBA GRATUITAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

O casal Inês e José Luiz Cardoso, proprietários da Queijaria Sopro do Minuano, produz queijo artesanal serrano há 42 anos. E a vocação vem de família, do bisavô em comum deles. Inês relata que o sustento da família vem da produção do queijo e que os avanços para a qualificação do produto, a valorização e o mercado foram acontecendo aos poucos, de passo em passo. “Conseguimos o SIM, o Sabor Gaúcho, o Susaf, o Selo Arte e agora a IG. Para nós, a IG é uma identificação específica de como no nosso lugar é produzido o queijo serrano, que é um produto manual e com muita qualidade. Isso é muito gratificante e tudo o que a gente conseguiu foi com o apoio da Emater, que faz muito tempo que nos acompanha e agora está ainda muito mais presente. É como se fossem da nossa família, sempre nos ajudando”, salienta Inês.

O evento foi organizado pela Emater/RS-Ascar e Secretaria da Agricultura de São Francisco de Paula. Estiveram presentes representantes das secretarias estaduais da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi) e de Desenvolvimento Rural (SDR), além da Prefeitura de São Francisco de Paula, Secretarias da Agricultura de São Francisco de Paula, Bom Jesus e São José dos Ausentes, Federação das Associações de Queijo Artesanal Serrano (Faproqas), Associação dos Produtores de Queijo e Derivados do Leite dos Campos de Cima da Serra (Aprocampos), Associação dos Produtores de Queijo Artesanal Serrano e Demais Estabelecimentos de Produtos de Origem Animal de São Francisco de Paula (Aprosaochico), além de produtores rurais da região.

RECEBA AS NOSSAS NOTÍCIAS AGORA TAMBÉM PELO TELEGRAM

Queijo Artesanal Serrano

É feito com leite de vacas de raças de corte ou mista alimentadas basicamente com pastagens nativas e tem maior percentual de gordura.  A textura amanteigada, o aroma e o sabor que se acentuam com a maturação são algumas características que diferenciam esse queijo dos demais artesanais do Brasil. Para ser queijo artesanal serrano, ele precisa ser produzido na região à qual pertence. Isso porque, além dos fatores culturais, humanos e históricos envolvidos, o clima, o solo, a altitude e a vegetação também contribuem para dar ao queijo um sabor único. Outro fator que diferencia o produto é o processo produtivo, que se caracteriza por um saber-fazer que está sendo transmitido de geração a geração por mais de dois séculos.