Canela,

23 de abril de 2024

Anuncie

Chico

360 GRAUS

Francisco Rocha

Constantino tem dificuldades para recompor primeiro escalão da Prefeitura de Canela

Compartilhe:

Alfredo no Turismo

Ao que tudo indica, Alfredo Schaffer será mesmo o novo secretário de Turismo. Difícil será encontrar alguém para o Meio Ambiente. Ainda, a Câmara vai votar, logo logo, a separação de Meio Ambiente e Planejamento. Serão necessários dois secretários.

A dificuldade em trazer novos nomes

Não sei o quanto o prefeito Constantino está tentando trazer novos nomes para o Governo. Seguidamente alguém vem me falar que recusou o convite para a direção de um departamento ou para uma secretaria, então, não deve estar tentando pouco.

Seguidamente, ainda, fico sabendo de algum bom nome que deixou o Governo.

A dificuldade se dá por três fatores, o primeiro deles, na minha opinião, é a baixa remuneração destes cargos. Um secretário ganha, limpo, hoje, R$ 8.300,00. Para a grande maioria da população pode parecer muito dinheiro, mas não é.

Quem é bom está empregado e ganhando bem, com certeza, mais do que isso. Buscar um empresário ou um gestor, então, mais difícil ainda, porque, por menor que seja a empresa, se o cara é bom, ganha mais que isso também.

O segundo fator é a fama da turma. Se fala na rádio corredor que não é fácil trabalhar com Constantino e com os caciques do partido. Estes últimos não toleram quem não é da tribo e costumam guardar rancor de broncas passadas, podendo ir do boicote a represálias mais pesadas.

Já o terceiro motivo é a falta de credibilidade da atual administração, aliada ao medo de se enrolar em alguma irregularidade. Quem é bom, está empregado ou tem sua empresa… não vai querer se incomodar.

A tarefa de reestruturar a equipe do terceiro escalão para cima é muito difícil.  Talvez por este motivo o prefeito, sempre que tem oportunidade, elogia seus atuais secretários pela coragem de ter assumido o cargo em meio ao olho do furacão da Operação Cáritas.

Porém, todavia e entretanto, ter boa vontade e disponibilidade de assumir um cargo não significa que por si só a pessoa dará resultados. É preciso conhecer o mínimo de gestão pública.

Cristiano Port assume o comando do DMEL

Através de um convite do secretário Municipal de Obras, Marcelo Savi, e após conversa com o prefeito Constantino Orsolin, Cristiano Port aceitou assumir o Departamento Municipal de Esporte e Lazer – DMEL.

A informação foi confirmada na tarde desta quarta (01).

Cristiano é servidor concursado da Prefeitura de Canela, na área administrativa, mas já trabalhou em diversos projetos esportivos, principalmente de base, como a Olé Futsal, nos bairros Leodoro de Azevedo e Eugênio Ferreira.

O desafio não é grande, é enorme, reestruturar uma das áreas mais deficitárias de ações e políticas públicas de Canela.

A coluna deseja sucesso ao Cristiano e parabeniza o prefeito Constantino, que, ao menos desta vez, olhou para fora do seu círculo partidário para dar uma resposta à comunidade.

Não tem como fazer milagres

Falei com o Cristiano Port, ontem. Ele quer cumprir o calendário que já estava estabelecido e, se possível, avançar no fomento de núcleos comunitários de esporte, no mínimo, tentar recuperar aquela participação comunitária que havia na cidade no passado, não muito distante.

Ele sabe que não tem como fazer milagres. Por ora, a estrutura é a mesma e as competições são as mesmas, mas é preciso começar ações de incentivo para que num futuro, não muito distante, os resultados apareçam.

Cáritas: sem acordo e não quis devolver o dinheiro

Chamou atenção de que dois réus da 10ª fase da Operação Cáritas não aceitaram acordo com o Ministério Público. Um jornalista de Gramado e um empresário de Porto Alegre tiveram a oportunidade e disseram não.

Para aceitar o acordo eles deveriam confessar os crimes de que são acusados. Um deles, para não virar réu, deveria devolver aos cofres públicos os R$ 50 mil que transferiu de sua conta para a conta corrente do ex-secretário Municipal de Turismo, Ângelo Sanchez.

Ângelo segue preso

Na data da publicação desta coluna, Ângelo Sanchez completou 79 dias de prisão preventiva e sem perspectiva de relaxamento da prisão, pois foram 10 tentativas jurídicas, todas negadas, entre a 1ª Vara Judicial e o Tribunal e Justiça.

Sanchez já é réu em dois processos judiciais e a tendência é de que novos apareçam.