Canela,

21 de fevereiro de 2024

Anuncie

Jardim Botânico de Curitiba volta a integrar cenário do Mini Mundo

Compartilhe:

Réplica está em um espaço maior e foi repaginada visando aumentar o nível de detalhamento e realismo em relação à obra original

Um dos pontos turísticos mais icônicos e tradicionais da capital paranaense, o Jardim Botânico de Curitiba está em um novo espaço dentro do Mini Mundo, em Gramado/RS. A réplica passou a ocupar um local mais amplo no atrativo, o que possibilitou a reprodução com um maior nível de detalhamento e realismo em relação ao cenário original. 

RECEBA GRATUITAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

A obra foi construída pela equipe da oficina em 2018, com foco na estufa metálica principal, em estilo Art Nouveau. Durante o mês de março deste ano foi preparado um novo local da cidade em miniatura para acomodar a construção. Agora, além da famosa estufa, o espaço conta com a reprodução fiel, em escala 1:24, dos seus jardins geométricos elaborados com plantas reais. Desta forma, o Mini Mundo passa a oferecer aos visitantes uma experiência de contemplação mais próxima à da visita ao monumento original, com toda sua vitalidade, beleza e imponência.

Para mais informações sobre o Mini Mundo e/ou realizar a compra de ingressos, basta acessar o site www.minimundo.com.br. O atrativo abre diariamente, das 9h às 17h, e está localizado na Rua Horácio Cardoso, 291, Bairro Planalto, em Gramado/RS.

RECEBA AS NOSSAS NOTÍCIAS AGORA TAMBÉM PELO TELEGRAM

Sobre o Jardim Botânico de Curitiba

Inaugurado em 5 de outubro de 1991, o Jardim Botânico de Curitiba é um dos principais pontos turísticos da capital paranaense. Seu nome oficial é Jardim Botânico  Francisca Rischbieter e tem como principal finalidade o estudo, pesquisa e documentação do patrimônio florístico do País. Inspirada no Palácio de Cristal de Londres, no estilo Art Nouveau, a principal estufa do jardim, construída em ferro e vidro, possui uma área interna climatizada com 458 metros quadrados e mantém espécies de plantas como Caraguatá, Caetê e Palmito.

Foto: Divulgação