Canela,

19 de junho de 2024

Anuncie

Ju Alano

EDUCAÇÃO FINANCEIRA

Juliana Alano

EMPREENDEDORISMO FEMININO E A LIBERDADE FINANCEIRA • Juliana Alano

Compartilhe:

Caro leitor, hoje uma pesquisa do Sebrae evidenciou que mulheres empreendedoras são responsáveis pela abertura de mais de 50% das empresas, no entanto dedicam, em média, 17% menos horas para seus negócios do que os homens empreendedores devido a jornada dupla, divisão de tarefas injusta, ausência de políticas públicas efetivas que lhes deem suporte.

Já falamos aqui da dificuldade de empreender no Brasil, o que gostaria de chamar sua atenção é o que o empreendedorismo, seja ele por oportunidade ou necessidade, pode causar na vida de uma mulher que não viu no mercado de trabalho suas necessidades atendidas e abre seu próprio negócio.

O público que me segue e busca meus serviços é formado por 90% de mulheres empreendedoras, mães, casadas, entre 35 e 45 anos. Acredito que esse perfil se deva pela questão de identidade com minha trajetória profissional e história de vida, pois ser uma educadora financeira já é uma quebra de paradigmas em um universo até então dito masculino.

• SIGA A JULIANA NO INSTAGRAM

Empreender é desafiador, e para a mulher talvez seja um pouco mais, pois culturalmente ela possui responsabilidades com a maternidade e com o casamento. Estamos no século XXI e por mais que possamos escolher o que fazer, essas são demandas naturais e às vezes, exigidas socialmente. O direito de empreender pode ser mais uma atividade no cotidiano dessa mulher que sonha viver melhor. A liberdade financeira feminina é um desafio para muitas mulheres, até porque não somos ensinadas a ganhar ou cuidar do dinheiro. Historicamente, mulheres são criadas para obedecer, cumprir ordens, cuidar do marido, dos filhos, dos seus pais e assim por diante, e atualmente, trabalhar e ser responsável por seu sustento financeiro.

Mulheres precisam aprender a ganhar e a cuidar do seu dinheiro, pois por meio da renda, conseguimos cuidar assertivamente de nossos interesses. A geração de renda impacta na autoestima e no seu poder pessoal, pois a renda é item fundamental para sobrevivência no contexto capitalista e nada é mais bonito do que uma mulher confiante por tomar conta de si e do que mais lhe interessar. Ao ter renda, a mulher consegue manter sua segurança financeira, seu conforto, seu visual e realizar seus sonhos. A MULHER autônoma em suas FINANÇAS pode TER e SER o que ela QUISER. Pense nisso!