Canela,

25 de fevereiro de 2024

Anuncie

Miroh conquista IG de Origem e Selo de Procedência

Compartilhe:

O chef chocolatier Ricardo Campos com o prefeito em exercício de Gramado, Luia Barbacovi. Foto: Rafael Cavalli.

A Miroh Chocolate Makers recebeu na noite de quarta-feira, dia 17 de maio, a Indicação Geográfica (IG) e o Selo de Procedência. A entrega aconteceu durante a cerimônia de abertura do Connection Experience – Terroirs do Brasil, no Palácio dos Festivais.  

Com as conquistas, a partir de agora, os chocolates da marca passam a ser oficialmente “Chocolate Artesanal de Gramado”.  “Quando criamos a marca, nosso objetivo era produzir um dos melhores chocolates do mundo. Dois anos depois, temos a certeza de que estamos no caminho certo”, afirma o chef chocolatier, Ricardo Campos.  

RECEBA GRATUITAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

O registro de Indicação Geográfica é conferido apenas a produtos ou serviços que são característicos de um local de origem, gerando reputação, valor e identidade própria, além de se diferenciarem dos similares encontrados no mercado pela sua qualidade. “Gramado já era reconhecida como a Capital Nacional do Chocolate Artesanal. O IG e o Selo reforçam ainda mais o posicionamento da cidade, que prima por produzir com excelência”, afirma.  

Esta não é a primeira conquista da Miroh. Em 2022, recebeu medalha de Bronze com seu Chocolate 42% ao leite com café Blums no “Internacional Chocolate Awards World Bean to Bar”, principal premiação do setor no mundo, que aconteceu em Hannover, na Alemanha. Também conquistou quatro medalhas, sendo duas de ouro e duas de prata, no “The NW Chocolate & Chocolate Alliance Awards”, realizado em Seattle, nos Estados Unidos.  

No Brasil, os chocolates da marca também ganharam reconhecimento. No Prêmio Bean to Bar recebeu três medalhas de bronze com o 42% ao leite Fazenda Camboa, o 54% Dark Milk Fazenda São Luís e o 70% Dark Fazenda Camboa.  

RECEBA AS NOSSAS NOTÍCIAS AGORA TAMBÉM PELO TELEGRAM

Mais informações:  

A Miroh Chocolate Makers está alinhada com o processo B2Bar (Bean-to-Bar),  já disseminado nos EUA e em alguns países da Europa, que prima pela qualidade de ponta a ponta no processo de produção do chocolate, da escolha da amêndoa até o produto final. A marca trabalha 100% com fazendas sustentáveis, que fabricam cacau orgânico, premiado e que não utilizam trabalho escravo ou infantil.