Canela,

21 de maio de 2024

Anuncie

Três pessoas foram executadas por estarem negociando com facção rival no Vale do Paranhana

Compartilhe:

Rolante – Uma grande operação desencadeada ao amanhecer de terça-feira (30) auxiliou a esclarecer três execuções cometidas ao longo deste ano em Rolante. Os três crimes estão interligados, conforme apurado pela Polícia Civil.

Rian Rafael Reichert Lessing

Na operação, sete criminosos foram presos por envolvimento na execução de Rian Rafael Reichert Lessing, 19 anos, morto a tiros dentro de casa no mês de março, na localidade de Linha Reichert. A ordem para matá-lo, partiu de dentro da cadeia, pelo líder da facção que predomina na cidade. Com a investigação da morte de Rian, que também estava envolvido com o tráfico, os policiais descobriram a autoria de um duplo homicídio cometido no mês anterior, em 18 de fevereiro, do casal Nicolas Elemar Morschel e Juliana Soares da Silva, de 18 e 21 anos, respectivamente. Eles foram torturados e mortos a facadas.

Traidores da facção foram mortos

Conforme apurado pela Polícia Civil, coordenada pelo delegado Vladimir Medeiros, a vítima do mês de março foi um dos matadores do casal Nicolas e Juliana. Rian e os demais criminosos receberam a ordem de matar o casal porque os dois estariam envolvidos com a facção rival, que tenta tomar o poder do tráfico de drogas na cidade. No entanto, depois que Rian e comparsas mataram o casal, foi descoberto que Rian também estava traindo a facção com o grupo rival. “O Tribunal do Crime, então, também ordenou sua execução. Rian é um dos autores do duplo homicídio e vítima do outro. E a outra ligação entre os três mortos é de que ambos tentavam migrar para a facção rival, sendo considerados traidores”, explica o investigador.

INQUÉRITO 

Na execução de Rian, a Polícia Civil identificou e prendeu sete criminosos. Seis foram presos na operação que ocorreu na Linha Reichert, Centro, Areia e Rio Branco. O sétimo, que é o mandante, já está recolhido na cadeia por outros crimes. A operação com as prisões contou com a participação de 25 policiais civis de Rolante, Parobé, Canela, Taquara, São Francisco de Paula e Igrejinha.
Os criminosos foram encaminhados para o sistema prisional e responderão por homicídio qualificado, associação para o tráfico, porte ilegal de arma de fogo, entre outros delitos.

SEGUNDO INQUÉRITO

Dos sete presos pelo assassinato de Rian, cinco estão envolvidos na execução do casal. Com isso, também está praticamente encerrada a investigação das mortes de Nicolas e Juliana.

Neste ano, também foi registrado um quarto homicídio na cidade. Em 20 de março, às margens da RS-239, em Rolante, foi localizada uma perna humana. Os policiais conseguiram fazer a identificação da vítima, com auxílio de laudos periciais. Este assassinato também teria ligação com o tráfico de drogas, mas em outra cidade. Em Rolante, só ocorreu a desova do membro humano. Essa investigação segue andamento.

Fotos: Reprodução

Informações: Repercussão Paranhana