Canela,

14 de julho de 2024

Anuncie

Chico

360 GRAUS

Francisco Rocha

Governo pede vistas, mas é certa a aprovação do PL das novas secretarias e 30 CCs

Compartilhe:

E mais: Savi é considerado o politico destaque no levantamento do Destaque Folha 2023

O líder de Governo, vereador Roberto Grulke (MDB), pediu vistas ao PLC 02/2023, o projeto de lei das novas secretarias e 30 CCs, pelo prazo de duas semanas.

Claro que os governistas conhecem o teor do PL, o que eu consigo imaginar é que o Governo precisa ganhar tempo para conseguir os votos necessários e, com a renúncia de Gilberto Cezar, Jefferson poderá assumir, eventualmente, como prefeito, então tem que ver qual será o suplente e como ele vai votar e “talecoisa”…

Portanto, as vistas são para ajeitar a casa e garantir a aprovação, até porque, alguém sabe como votará o PSDB?

Mais um detalhe que adocica esse enredo é que, neste tipo de projeto de lei o presidente não vota e são necessários 6 votos para aprovação. Imagine, por exemplo, se o Prefeito resolve sair de férias ou viajar, daí o presidente da Câmara, Jefferson, assume a Prefeitura. Com isso, Carmen Lúcia de Moraes assume a presidência e não vota. O suplente de Jefferson é chamado e vota.

Hoje, os suplentes seriam Carmen Jungton, ou Dilo Daros ou Paulo Ricardo Rodrigues . Então, na teoria, a oposição teria os três votos do PDT e o voto de Felipe Caputo (PSDB), os seis restantes são do MDB e pronto, projeto aprovado.

A renúncia de Cezar

O assunto político da semana foi a renúncia de Gilberto Cezar, ainda na segunda (29). O fato pode ter pego alguns de surpresa, mas o desembarque do PSDB do atual governo era uma questão de tempo.

Cezar poderia apenas ter desativado definitivamente seu gabinete, aberto mão do salário de vice e ficado a disposição sem abrir mão do mandato, mas optou pela ruptura definitiva.

Agora, pode desenvolver novos projetos. Há quem diga que seu futuro é na Assembleia Legislativa, há quem diga que é junto ao Governo do Estado, mas, não é possível formar uma opinião se a renúncia do vice-prefeito surte algum resultado prático na política local, afinal, o racha entre ele e Constantino e do PSDB com o MDB já existia, não precisava de um papel assinado, foi apenas a formalização da separação de corpos em um casamento que desmoronou com o tempo.

Jefferson ganha com a renúncia de Gilberto

Quem ganha politicamente com a renúncia de Gilberto é o atual presidente da Câmara de Vereadores de Canela, Jefferson de Oliveira. Ele assumirá a Prefeitura nas ausências de Constantino e, temos um ano e meio pela frente.

Ou seja, Jefferson será prefeito mais algumas vezes até o final de 2024, o que é uma projeção política muito grande, ainda mais para quem tem pretensões eleitorais.

Savi aparece bem como político destaque

A política é uma ciência, inexata, mas, uma ciência.

Aqui na Folha, sempre usamos o levantamento de opiniões do Destaque Folha para perguntar algumas coisas aos nossos leitores, como, por exemplo, quem eles consideram que está se destacando na política.

Como esta é a 11ª do levantamento de opiniões, já conseguimos perceber que a popularidade dos prefeitos e a aprovação de suas administrações são sempre positivas nos inícios de mandato, após, vão baixando com o desgaste do governo.

Já popularidade de quem tem chances de ir bem na próxima eleição vai crescendo. Foi o que aconteceu com Gilberto Cezar e com Marcelo Savi, neste ano.

Savi teve o dobro das indicações de Gilberto, que praticamente empatou com Constantino. Na sequência, aparecem bem o vereador do PDT, Jerônimo Terra Rolim, e o secretário Alfredo Schaeffer (PSDB).

É legal destacar que, neste formulário, o terceiro, foram mais de 1951 leitores que responderam, um número expressivo e que pode dar uma noção de como está a aceitação de cada um destes nomes.

Aprovação da Administração

Pedimos aos leitores que avaliassem a administração municipal. Os números pioraram em relação ao ano passado, mas não significativamente.

Quem considera que o governo está ruim, mudou de 9,3% para 18,6%, exatamente o dobro.

Porém, quem considera que o governo está bom continua na casa dos 30%, 38,4% em 2022 para 30,9% em 2023.

É a teoria do copo meio cheio e meio vazio, depende de como estes números são vistos. Se formos considerar o desgaste natural de dois mandatos, juntamente com as denúncias sofridas com a Operação Cáritas, eu considero os números bons.