Canela,

18 de junho de 2024

Anuncie

Durante Operação Blaster, Patram resgata Coruja-diabo em Gramado

Compartilhe:

Durante essa terça-feira (06), Policiais Militares do 3° Batalhão Ambiental da Brigada Militar de Canela, realizaram mais uma fase da “Operação Força Verde Blaster” na região das Hortênsias. A Operação Blaster foi idealizada pelo Comando Ambiental da Brigada Militar e tem por principal objetivo o combate ao comercio, depósito e uso de explosivos irregulares dentro do território estadual.

Estes explosivos são comumente utilizados para o desmonte de rochas em atividades de pedreiras, saibreiras e britadores. Ocorre que, o depósito e transporte irregular destes explosivos, acaba facilitando o acesso a criminosos, que após a subtração dos materiais, os utilizam para cometer crimes ainda mais graves, como os assaltos a bancos e carros-fortes.

Na execução das Operações Blaster os policiais dedicam foco especial a fiscalização de toda a movimentação de explosivos em suas regiões de atuação. A Operação tem se mostrado um sucesso em segurança pública, tanto que o Rio Grande do Sul a série histórica 2012-2022 com o menor índice registrado entre ocorrências de assaltos a banco com explosivos, e os números seguem reduzindo.

RECEBA GRATUITAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

Ainda, nesta data, após solicitação de operários no município de Gramado, os policiais ambientais localizaram, em uma obra abandonada, um exemplar de Mocho-preto, que estava de fato preso por alguns metros de linhas comumente utilizados na construção civil. Utilizando-se de equipamentos e através do treinamento que os Policiais Ambientais recebem, foi possível capturar o animal, que não estava ferido, e após salvo alçou voo.

RECEBA AS NOSSAS NOTÍCIAS AGORA TAMBÉM PELO TELEGRAM

O Mocho-preto, também conhecida como coruja-diabo e mocho-do-diabo, é uma ave nativa do Brasil, possui tamanho médio-grande, variando de 40 a 43 cm (macho) e de 38,5 a 47,5 cm (fêmea) e pesando de 311 a 685g (macho) e de 411 a 680g (fêmea). É uma coruja estritamente noturna, e costuma esconder-se durante o dia em densa folhagem ou galho de árvore coberto com epífitas, geralmente perto do tronco.

No Brasil, ocorre nos estados do Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Distrito Federal, mas eventualmente pode ser avistada em áreas urbanas arborizadas como grandes parques em metrópoles como São Paulo, Curitiba e Belo Horizonte.