Canela,

14 de julho de 2024

Anuncie

Campus 8 da UCS promove exposição dos TCCs do bacharelado em Artes Visuais

Compartilhe:

Aurora Franzoi D'Arrigo

Mostra ocorre de 3 a 13 de julho, na Galeria de Arte. Visitação é gratuita e aberta ao público

De 3 a 13 de julho, a Galeria de Arte do Campus 8 da Universidade de Caxias do Sul promove a exposição dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) do bacharelado em Artes Visuais. A visitação, gratuita e aberta ao público, ocorre de segundas a sextas-feiras, das 8h às 22h30min.

A mostra reúne as produções de fotografia (digital e cianotipia), videoinstalação e gravura sobre papel artesanal resultantes das pesquisas desenvolvidas durante o TCC de quatro formandos: Aurora Franzoi D’Arrigo, Carolina Keil, Gabriela Gatelli Perico e João Paulo Rates Rippel. Os acadêmicos foram orientados pelas professoras da UCS Glaucis de Morais Almeida e Silvana Boone, coordenadora do curso de Artes Visuais.

RECEBA GRATUITAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

Para Silvana, a produção textual que resulta em exposição, ao chegar ao final do curso, manifesta os processos criativos sustentados e justificados em conceitos da arte. Cada proposta dialoga com elementos do cotidiano, da psique, da natureza e da sociedade, podendo ser feitas diversas leituras que, autônomas, geram novos sentidos. “A exposição apresenta o conjunto criativo de quatro artistas cujas temáticas são muito diferentes entre si, mas vêm carregadas conceitualmente de elementos que se manifestam enquanto arte contemporânea”, contextualiza a coordenadora do curso.

A atividade também reafirma a importância e a tradição das artes visuais em Caxias do Sul, difundindo a produção cultural da cidade e contribuindo para fortalecer o intercâmbio artístico e cultural.

Arte Contemporânea e a busca pela ruptura do Male Gaze, de Aurora Franzoi D’Arrigo sob orientação de Silvana Boone: a série “ANAs” resgata elementos visuais presentes nos anos 2000 e faz com que as personagens usufruam de um universo rosa utópico, de uma sociedade feminina à parte da imagem do homem. A partir disso, essas mulheres, criadas a partir de imagens que simulam cenas de filmes, introduzem novos pontos narrativos que destroem expectativas expostas e reconstroem histórias femininas.

Memórias expostas: A confissão enquanto manifestação artística, de João Paulo Rates Rippel sob orientação de Silvana Boone: a videoinstalação é o resultado da experiência de internação vivenciada pelo autor. Rates evidencia a inércia de forma visual, com a falta de movimento e a sensação de estagnação, que ganha destaque como elemento marcante e simbólico. “Da experiência à sensação, da memória à aflição, revelar o que vivenciei é confessar de maneira pungente a todos que entrarem em contato com esta obra que tentei cometer suicídio e fui submetido à interção em uma clínica psiquiátrica”, diz o artista a respeito da videoinstalação que convida o espectador a refletir sobre o tempo suspenso e a monotonia deste período, cinco anos após a internação.

A inutilidade útil da arte contemporânea partindo de uma perspectiva pessoal, de Gabriela Gatelli Perico sob orientação de Silvana Boone: o resultado do trabalho é a exposição de 23 objetos inúteis. A obra visa questionar inutilidades tanto dos objetos como da arte contemporânea em si. Para isso, Gabriela reuniu 23 gravuras de baixo relevo, feitas com 23 objetos inutilizados, em papéis artesanais produzidos a partir de diversos materiais descartados. Para contextualizar ainda mais, cada gravura é acompanhada por uma caixa selada com polpa de papel artesanal, contendo em seu interior os 23 objetos.

Metamorfoses: O entrelaçamento entre o humano e o vegetal em imagens, de Carolina Keil sob orientação de Glaucis de Morais Almeida: a produção convida a refletir sobre a interconexão e o fluxo constante de mudanças que permeiam a existência, sobretudo, relacionadas à proximidade dos corpos humanos e não humanos a ponto de se influenciarem mutuamente. As obras trazem à tona o conceito de metamorfose como sinônimo de um processo contínuo de transformação da vida. Carolina realizou experimentações poéticas através da técnica de cianotipia, resultando em cianótipos que combinam órgãos humanos e plantas com propriedades curativas específicas.

RECEBA AS NOSSAS NOTÍCIAS AGORA TAMBÉM PELO TELEGRAM

Serviço
O quê: Exposição dos TCCs em Artes Visuais da Universidade de Caxias do Sul
Quando: de 3 a 13 de julho, de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h30
Onde: Galeria de Arte do Campus 8 da UCS, em Caxias do Sul
Produções de: Aurora Franzoi D’Arrigo, Carolina Keil, Gabriela Gatelli Perico e João Paulo Rates Rippel, orientadas pelas professoras da UCS Glaucis de Morais Almeida e Silvana Boone